Escola e comunidade sustentáveis

Considerações iniciais

Curioso é o processo pelo qual as modificações dos paradigmas educacionais vão surgindo. As atribuições da educação são implementadas a cada curto período de tempo e os seus envolvidos devem manter sempre o pensamento da revitalização dos saberes acumulados, bem como da aquisição de outros novos, aceso e alimentado. Portanto, concluímos que as demandas guiam o destino da educação; iremos sempre aonde às necessidades apontarem.

É não só importante, mas, acima de tudo, necessário, que priorizemos os debates de conhecimentos que visem à manutenção do planeta. Devemos conduzir os nossos alunos ao progresso, porém com a ideia fixa, e a prática mais fixa ainda, de sustentabilidade.

A ideia de sustentabilidade foi totalmente disseminada pelo mundo, liderando as discussões sobre o progresso sustentável. Ela aponta para a evolução da ciência, das indústrias, do comércio etc., desde que se mantenha o respeito pelo planeta em que vivemos.

Escola sustentável

Escola é lugar de recepção, aperfeiçoamento, produção e disseminação de saberes. É também um ambiente de conscientização. O conceito “conscientização” representa a chave para a mudança dos ideais dos indivíduos sobre a preservação de tudo que existe, inclusive do mundo. A conscientização é, talvez, o maior desafio da educação.

Devemos formar pessoas conscientes; conscientes de que existe uma responsabilidade nossa sobre quase tudo que existe. A teoria do caos aponta que o simples o bater de asas de uma borboleta, por exemplo, pode afetar o desequilíbrio do mundo. Por isso, podemos concluir que as nossas ações afetam muitos outros indivíduos e a nós mesmos. É necessário preservar o que foi criado para servir a um propósito.

O conceito de sustentabilidade deve ser minunciosamente trabalhado na escola. Os professores poderão trabalhar com projetos ou em aulas normais, através da interdisciplinaridade das diversas disciplinas do currículo do discente.  Deve-se priorizar a ideia de equilíbrio: se é necessário sacrificar algumas árvores para realizar alguma construção, que muitas outras sejam plantadas. Essa ideia também é válida para a nossa alimentação. Podemos plantar boa parte do que comemos, o que nos fornecerá um alimento muito mais saudável e seguro para ser consumido. Nesta ótica, a escola poderá montar hortas, sempre com o auxílio dos alunos. Enquanto a plantação, manutenção e colheita dos produtos da horta são feitas, os professores poderão trabalhar diversos conteúdos ligados às várias disciplinas curriculares.

A escola também deverá atuar na conscientização dos alunos em relação ao consumo consciente da água. Deve expor a escassez de chuvas em vários pontos da Terra e também o pouco volume de água potável que possuímos. Os alunos servirão como agentes disseminadores dessa ideia na comunidade.

Seguindo o rumo da conscientização, é necessário que os alunos saibam a necessidade de não desperdiçar alimentos. Isso poderá ser realizado por vídeos e textos que mostrem situações de pessoas que não têm o que comer. O indivíduo consciente também não depreda o patrimônio público, por exemplo, a escola. Ele simplesmente reconhece aquele ambiente como primordial à sua formação e ingresso no mercado de trabalho, na formação de sua personalidade e na conversão dos seus erros em acertos.

Conscientização é palavra de ordem da educação. O professor que foca a sua prática na formação da consciência do aluno, está muito próximo de obter sucesso como reflexo de sua prática, pois, cidadãos conscientes exercerão forte influencia na modificação de uma sociedade demasiadamente capitalista/consumista, mas praticamente desconectada da natureza.

Comunidade sustentável: espelho da escola

Os cidadãos conscientes criados ou descobertos na escola retornarão à sua comunidade de origem com o mesmo aspecto físico, mas completamente modificado intelectualmente. O pensamento agora estará voltado à sustentação do planeta como um todo, pois dele depende a nossa existência.

Aquele aluno que aprendeu como racionar a água, agora passará a ensinar os procedimentos aos seus pais e parentes ou ainda estender essa praxe aos vizinhos e colegas. Estes, ao terem os seus comportamentos modificados, poderão transmitir os novos saberes adquiridos a outras pessoas, e assim por diante. Desta forma, todos os aprendizados adquiridos em sala de aula serão transmitidos à sociedade.

Uma comunidade sustentável é aquela que respeita os limites da natureza, que dá atenção ao meio ambiente, que planta o que consome, que se importa com o que extrai da natureza e que repõe o que dela retirou. Uma comunidade sustentável pode ser criada na escola por meio da conscientização dos discentes. Da existência de comunidades sustentáveis depende o planeta.

Considerações finais

Existe uma relação de reciprocidade entre o ser humano e o planeta. Dependemos tanto do planeta para existirmos, quanto o planeta depende de nós para manter a sua existência. Maltratar o planeta é maltratar a si próprio; é suicidar-se lentamente, uma morte dolorosa e inevitável. A cada agressão que desferimos ao planeta nos mutilamos a nós mesmos.

A sustentabilidade não é apenas um conceito, uma ideia. É uma prática da qual depende as nossas vidas. Sustentabilidade é um produto da consciência humana, sem ela, logo deixaremos de existir.

“A cada brasa que lançamos ao planeta, surge uma queimadura em nosso próprio corpo.”

(Robison Sá)

Arquivado em: Educação