Ponte Rio-Niterói

Por Fernando Rebouças
A Ponte Presidente e Silva, mais conhecida como ponte Rio-Niterói, teve sua construção iniciada em dezembro de 1968, a execução das obras passou por diversos acidentes a ajustes, os ajustes em cálculos e ações se concentraram na fundação dos pilares. A primeira construtora contratada sob licitação, CCRN – consórcio Construtor Rio-Niterói, teve o contrato rescindido em janeiro de 1971, após período de paralisação.

A partir de então, organizaram a construtora estatal ECEX – Empresa de construção e Engenharia de Obras Especiais, sob o consórcio “Construtor Guanabara”. A ponte foi inaugurada em 4 de março de 1974, é inclusa na rodovia BR – 101, cruza a Baía de Guanabara e liga as cidades do Rio de Janeiro e Niterói.

É uma construção que fortaleceu o pólo turístico no Estado do Rio de Janeiro, entre capital, região metropolitana e interior. A ponte possui um comprimento de 13,29 km, sendo considerada uma das sete maiores pontes do mundo.

A instituição administrativa Ponte S/A foi fundada em 1995, e compôs a primeira concessão do Estado relativa à rodovias, por falta de recursos estatais para a sua manutenção. A concessão é o ato do Estado transferir sua responsabilidade à iniciativa privada, responsabilidade referente à administração de um serviço público por um determinado tempo pré-estabelecido sob cronograma de ações a serem executadas pela concessionária.

A Ponte já serviu de cenário para filmes e novelas, as novelas que mais destacaram a construção, “Por Amor” de 1997, e a recente “Beleza Pura” de 2008, foram feitas pela TV Globo, tendo a cidade de Niterói com um dos cenários da trama. Quando a ponte engarrafa causa danos aos horários de seus usuários, e na passagem para a cidade de Niterói é cobrado pedágio.