Biografia de Castro Alves

Por Ana Paula de Araújo
Nasce em 1947, no dia 14 do mês de Março, na fazenda Cabaceiras, localizada na cidade de Cacchoeira-BA, o escritor Antonio de Castro Alves, filho do Dr. Antônio José Alves e de D. Clélia Brasília da Silva Castro.

Em 1852 transfere-se para Muritiba e depois para São Félix, onde recebe as primeiras letras, e dois anos mais tarde muda-se novamente com a família para Salvador. Lá, em 1956, começa a estudar no Colégio Sebrão, e dois anos depois no Ginásio Baiano.

No dia 09 de Setembro de 1860 recita suas primeiras poesias no Ginásio Baiano e no ano seguinte, no dia 03 de Julho, declama o seu primeiro poema, ainda no Ginásio Baiano.

Em 1862 muda-se para Recife, e em 1863 tenta se matricular na Faculdade de Direito do Recife, mas não obtém êxito. Neste ano viria a publicar seus primeiros versos abolicionistas.

Em 1864 se matricula no primeiro ano do curso jurírido e redige com colegas o jornal O Futuro. No mesmo ano volta para a Bahia, interrompendo assim o seu curso. Retorna, porém, a Recife, em Março de 1965, em companhia de Fagundes Varela. Ainda em 1965, no dia 19 de Agosto, alista-se no Batalhão Acadêmico de Voluntários para a Guerra do Paraguai. Estará de volta em dezembro, ainda em companhia de Fagundes Varela.

Em 1866 volta a Recife e se matricula no segundo ano do curso jurídico. Neste mesmo ano funda um sociedade abolicionista com Rui Barbosa e outros colegas e lança o jornal “A Luz”. No ano seguinte deixa Recife e vai para o Rio, onde recebe incentivos de José de Alencar, Francisco Otaviano e Machado de Assis.

Em 1968 parte para São Paulo, onde sofrerá um tiro no pé esquerdo durante uma caçada nos arredores da cidade, e por este motivo terá seu pé amputado. Viria em seguida a sofrer de tuberbulose, sendo obrigado a voltar para a Bahia, onde vem a falecer no dia 06 de Julho de 1871, em Salvador.
Castro Alves foi um dos autores mais renomados da terceira geração da Poesia Romântica, e sua obra foi caracterizada pelos seus ideiais abolicionistas e republicanos. É o patrono da Cadeira nº 7 da Academia Brasileira de Letras.