Canoagem slalom

Pós-graduação lato sensu em Jornalismo (Faculdade Cásper Líbero, 2014)
Graduação em Educação Física (Complexo Educacional FMU, 2007)

A bordo de uma canoa ou caiaque, a prática da Canoagem Slalom caracteriza-se como uma das modalidades mais radicais dos Jogos Olímpicos na atualidade. O atleta, com auxílio do remo, desce corredeiras, passa por obstáculos naturais ou artificiais, com o menor espaço de tempo, evitando sofrer penalidades.

Apesar da categoria Slalom nascer em 1932, influenciada pelo Esqui Slalom na Suíça, a origem da canoagem é mais remota. Os primeiros indícios são do século XV a.C. pelos egípcios. Há também a hipótese que começaram a utilizar pás para ajudar na locomoção no século III d.C. pelos astecas. Entretanto, a grande maioria de historiadores afirmam que no século XVI, as primeiras canoas e caiaques foram concebidas em um formato similar ao atual, na região do Canadá. Feitas de madeira e pele de animais, as canoas derivam das tribos indígenas e os caiaques dos esquimós.

Esse tipo de embarcação se popularizou na Europa, no início do século XIX, como uma forma de divertimento. Porém, tornou-se uma modalidade esportiva após o advogado escocês, John Mac Gregor criar sua própria canoa, apelidada de Rob Roy, e com ela realizar várias expedições pela Europa e Oriente Médio, no ano de 1840.

A Federação Internacional de Canoagem, responsável por regulamentar as competições mundiais, foi fundada oito anos antes do surgimento da categoria slalom, em 1924.

O esporte chegou ao Brasil no ano de 1943, através do alemão José Wingen, que relembrando sua infância de competidor na Alemanha, construiu uma canoa de madeira. Apesar disso, a canoagem ganhou força no país somente na década de 70, quando desembarcavam os primeiros caiaques fabricados na Europa e Argentina. Com isso, mais tarde se constituiu a Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa), em 1988.

A categoria apresentou-se para as Olimpíadas de Munique, em 1972. No entanto, somente vinte anos depois tornou-se modalidade olímpica, participando da edição dos jogos de Barcelona 1992.

Atualmente os caiaques são feitos predominantemente de resina de poliéster com fibra de vidro, há modelos de resina epóxi com fibra de carbono, além de exemplares com polietileno.

Com o percurso de 250 a 400 metros de corredeiras, os atletas passam em média por entre 18 e 25 balizas, ou portas, divididas por cores. Nas verdes deve-se atravessar descendo e nas vermelhas subindo. São posicionadas propositadamente em direções opostas, para que o haja muita mobilidade do competidor.

As embarcações largam com intervalo de 1 minuto entre elas nas provas individuais e descem três simultaneamente nas por equipes. Sendo duas descidas na fase de eliminatórias, valendo a melhor, e apenas uma nas semifinais e finais.

Categorias da Canoagem Slalom

Masculino

  • K1: Caiaque individual;
  • C1: Canoa individual;
  • C2: Canoa dupla (com dois participantes);

Feminino

  • K1: Caiaque individual.

Faltas

  • Acrescenta-se 2 segundos ao atleta que encostar em uma das portas;
  • Soma-se 50 segundos quando não cumpre o sentido ou lado certo da baliza;

Diferença entre as embarcações:

  • Caiaque: Sentado, o competidor utiliza um remo com uma pá de cada lado.
  • Canoa: Ao contrário do caiaque, há apenas uma pá e o atleta fica com um dos joelhos no assoalho.

Referências Bibliográficas:
http://www.brasil2016.gov.br/pt-br/olimpiadas/modalidades/canoagem-slalom
http://www.canoagem.org.br/pagina/index/nome/historia/id/12

Arquivado em: Esportes