Judô

Pós-graduação lato sensu em Jornalismo (Faculdade Cásper Líbero, 2014)
Graduação em Educação Física (Complexo Educacional FMU, 2007)

O nome desse esporte já explica muito sobre sua origem. A junção das duas sílabas da palava Judô, traduzidas do japonês, significam o caminho suave. Isso por que o professor de Educação Física Jigoro Kano, estudou outra modalidade de luta, o Jiu-Jitsu e verificou quais aspectos deveria mudar para criar um combate mais defensivo.

O Instituto Kodokan foi fundado no ano de 1882, pelo próprio Kano. A intenção do mestre japonês sobre a mais nova arte marcial era de agregar todos os tipos de público. Aliada a um código moral baseado em: cortesia, coragem, honestidade, honra, modéstia, respeito, autocontrole e amizade.

Em 1886, uma competição foi organizada no território japonês contando com a participação das escolas de lutas da época. Evento que propagou a modalidade para todo o país. Chegou primeiramente à Inglaterra por volta de 1899, em seguida desembarcou três anos após nos Estados Unidos, retornando à Europa, desta vez na França, em 1905.

O Judô espalhava-se pelos quatro cantos do mundo, aterrissando no Brasil entre os períodos de 1920 e 1930, logo após a chegada dos imigrantes japoneses. Dentre eles havia praticantes, alguns nomes como Takaji Saigo e Geo Omori abriram uma escola em São Paulo, entretanto não obtiveram sucesso. Até mesmo o professor Eisei Maeda, entrou no país por Porto Alegre, passou pelos estados do Rio de Janeiro e São Paulo, no ano de 1922, também não garantiu muitos adeptos. A consagração do esporte em terras brasileiras veio depois da abertura da Academia Ogawa, fundada pelo professor recém-chegado Riuzo Ogawa, em 1938.

Kano fez parte do Comitê Olímpico Internacional no ano de 1909, porém a luta integrou-se as Olimpíadas exclusivamente como demonstração em Tóquio 1964. As medalhas vieram na edição de Munique 1972, quando Chiaki Ishii, japonês naturalizado brasileiro, conquistou o primeiro triunfo olímpico brasileiro de muitos que estariam por vir, em cada evento o pódio era sempre conquistado. Uma vez que a Confederação Brasileira de Judô já havia se instituído na data de 18 de março de 1969, fator que contribui no grande nível dos atletas. As mulheres puderam participar do Jogos Olímpicos apenas em 1992, na cidade de Barcelona.

O local dos embates são de 10m² onde para vencer o oponente é preciso derrubá-lo de forma que as costas toquem o solo, pode-se também segurá-lo por até 20 segundos ou fazer com que o adversário desista. Vale lembrar que são proibidos socos e chutes.

Vestidos sempre com cor de quimonos diferentes: azul ou branco, os judocas são separados por categorias de peso:

Masculino

  • Ligeiro: Até 60kg
  • Meio leve: Até 66kg
  • Leve: Até 73kg
  • Meio médio: Até 81kg
  • Médio: Até 90kg
  • Meio pesado: Até 100kg
  • Pesado: Acima de 100kg

Feminino

  • Ligeiro: Até 48kg
  • Meio leve: Até 52kg
  • Leve: Até 57kg
  • Meio médio: Até 63kg
  • Médio: Até 70kg
  • Meio pesado: Até 78kg
  • Pesado: Acima de 78kg

Em cada disputa os atletas dispõem de cinco minutos para os homens e quatro nas mulheres. No caso de empate, há uma prorrogação até que um marque o ponto da vitória.

Nomes das pontuações:

  • Ippon: Derrubar de forma rápida o oponente com as costas no solo. Imobiliza-lo por até 20 segundos ou fazer com que desista utilizando–se de uma chave de braço por exemplo. Após sua execução a luta é finalizada.
  • Wazari: Similar ao ippon, porém no caso as costas não tocaram em sua totalidade o chão ou o golpe não foi com força e velocidade, podendo ser imobilizado entre 15 e 19 segundos.
  • Yuko: Tombar o rival no qual a lateral do corpo encoste no solo. Outra forma é por imobilização de 10 a 14 segundos.

Referências Bibliográficas:
http://www.cbj.com.br/historia_do_judo/
http://www.brasil2016.gov.br/pt-br/olimpiadas/modalidades/judo
https://www.cob.org.br/pt/Esportes/judo

Arquivado em: Esportes