Plano Amostral

Por Fernando Rebouças
Numa pesquisa o plano amostral é um conjunto de etapas que possibilitam a definição de segmentos pertencentes a uma amostra de resultados, os segmentos podem ser  a “população” e o “universo”.

A “população” refere-se ao público-alvo pretendido para a extração de informações a uma amostra. O “universo” é o conjunto de todos os elementos amostrais da população.

Dentro da pesquisa a unidade amostral é o ambiente onde está situado o elemento amostral; o elemento amostral, por sua vez, é o objeto de uma mensuração, a fonte de informações sobre o tema e problema a ser pesquisado e estudado.

No plano amostral, a extensão geográfica denomina a área geográfica na qual está sendo realizada a coleta de dados de uma pesquisa. O tempo é o prazo referido em dia, semana, mês e ano de levantamento.

O plano amostral visa o reconhecimento do universo de estudo, a população investigada e a unidade amostral. O pesquisador deve estar consciente sobre a decisão da amostra ser aleatória ou intencional.

A amostra intencional é aquela  que o pesquisador pode arbitrar sobre as unidades de população a serem estudadas e observadas, principalmente, em situações específicas e particulares. A amostra  aleatória é comum em estudos no setor de saúde, na visão de mitigar os erros sistemáticos ou repetições de amostragens, fato que levaria o estudo a ser inconclusivo.

A amostragem pode ser apresentada a partir de cinco estratégias diferentes de amostragem:

  • Aleatória simples
  • Aleatória estratificada
  • Aleatória por conglomerados
  • Estágios Múltiplos
  • Sistemática

Na amostragem cuja estratégia é aleatória simples, cada integrante da população estudada possui a mesma oportunidade de ser escolhido na composição da amostra e técnica, na garantia de similar probabilidade, por exemplo, via sorteio.

Na amostragem estratificada a população é dividida em vários grupos que terão uma amostra aleatória para cada grupo ou estrato. Muito utilizada numa população heterogênea.

A aleatória por conglomerados divide a população em subpopulações distintas referidas como “conglomerados”, selecionados a partir da amostragem aleatória simples.

A estratégia por estágio múltiplo é uma combinação de duas ou mais amostras, principalmente em caso de grupos (estratos muito amplos) para o estudo.

Na amostragem sistemática segue-se os passos da amostragem aleatória simples considerando probabilidades similares pertencentes às amostras de todos os integrantes de uma determinada população. É realizada uma coleta de dados no decorrer de um período de tempo.

Sobre o plano amostral, podemos usar como exemplo os dados da Pesquisa sobre o Comportamento Sexual e Percepções sobre HIV/Aids na População Brasileira, estudo realizado em 2005. Os métodos utilizados foram centralizados na escolha do universo de pesquisam estratos de interesse e plano amostral. Nos resultados foram utilizados plano probabilístico sobre 5.040 unidade amostrais sobre uma população brasileira de indivíduos de idade entre 16 e 65 anos, moradores de grandes centros urbanos.

Fontes:
http://www.maurolaruccia.adm.br/materiais/metodologia.ppt
http://www.lee.dante.br/pesquisa/amostragem/planoamostral.html
http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0034-89102008000800004&script=sci_abstract&tlng=e