Adaptação dos Predadores

Por Fabiana Santos Gonçalves
O tamanho da presa em relação ao dos predadores depende do tamanho do predador. Cris Cabone, da sociedade zoológica e de Londres e seus colegas observaram que predadores com peso abaixo de 20 kg tendem a consumir presas com menos da metade de sua massa corporal. Quando maiores de 20 kg tendem a consumir presas com massa corporais próximas a dele.

Presas menores possuem menos energia que presas grandes. Portanto para um predador de alimentar, ele precisa consumir proporcionalmente uma quantidade maior de presas pequenas.

Alguns animais muito grandes podem consumir presas muito pequenas, como é o caso das baleias azuis que, mesmo pesando várias toneladas se alimentam de pequenos animais chamados Krills, semelhante a camarões.

Para capturar presas maiores, os predadores precisam se especializar. Quanto mais equivalente for a relação de tamanho entre a presa e predador, maior será a dificuldade de captura. Algumas poucas espécies caçam em bando, pois dessa forma podem capturar presas consideravelmente maiores que elas. Essa modalidade pode ser feita por leões, lobos, hienas e formigas ceifeiras.

O corpo dos predadores está intimamente relacionado com sua dieta. A forma dos dentes vária com a dieta. Os dentes dos carnívoros são muito diferentes dos dentes dos herbívoros. Uns têm dentes para mastigar, outros para triturar, cortar, prender, imobilizar e morder. Os dentes dos herbívoros normalmente são compostos por superfície trituradoras para macerar os tecidos das plantas. Já os carnívoros têm dentes com superfícies cortadoras e mordedoras, para imobilizar a presa e cortar os alimentos.

A forma das pernas e pés também influencia na predação. Alguns predadores usam as pernas dianteiras para ajudar a cortar o alimento. Algumas aves usam seus pés para prenderem as presas. Alguns animais sem apêndices, como as cobras, usam suas mandíbulas distensíveis para capturar suas presas. Serva para capturar e engolir presas grandes.

Os herbívoros possuem uma dieta que é rica em moléculas longas e fibrosas. Isso faz com que a vegetação seja mais difícil de ser digerida. Para isso seu trato digestivo é grande e alongado. Alguns possuem locais alargados, que servem como locais de fermentação, abrigando microorganismos que ajudam na digestão. Logo, o trato digestivo também varia com a dieta.