Antibiograma

Por Débora Carvalho Meldau
Um antibiograma é um ensaio capaz de medir a susceptibilidade ou resistência de uma bactéria aos antibióticos por meio do espectro de sensibilidade observados na placa de cultura. É, por definição, um teste de sensibilidade in vitro.

Os antibióticos são prescritos aos pacientes com base em conhecimentos gerais a respeito da sensibilidade. Todavia, várias bactérias apresentam resistência a várias classes de antibióticos, conferindo uma relativa dificuldade ao tratamento.

Comumente, os pacientes são tratados primeiramente com base em registros nos patógenos potencialmente envolvidos na doença em questão, recebendo este primeiro tratamento o nome de “antibioticoterapia empírica”.

Previamente ao início do tratamento, o clínico irá colher uma amostra de um compartimento suspeito de contaminação (sangue, urina, tecido), sendo estas amostras encaminhadas ao laboratório de microbiologia, que irá analisá-la microscopicamente e realizar a tentativa de cultivo desta. O resultado pode auxiliar no diagnóstico.

Após o estabelecimento da cultura, existem duas formas distintas de se alcançar um antibiograma:

  • Método semi-quantitativo baseado em difusão, também conhecido como método de Kirby-Bauer: diversos discos no qual estão contidos antibióticos diferentes, ou discos de papel impregnado, são distribuídos em zonas distintas de uma placa que contém meio de cultura (meio rico em nutrientes no qual as bactérias multiplicam-se). O antibiótico difunde-se na periferia de cada disco, e um halo de lise bacteriana transparece. Uma vez que a concentração do antibiótico é maior no centro, e menor na periferia do halo, o diâmetro sugere a concentração inibitória mínima. A transformação do diâmetro em milímetros para a concentração inibitória mínima em µg/ml é feita com base em curvas lineares de regressão previamente conhecidas.
  • Método quantitativo baseado em diluição: diversos recipientes com diluições de antibióticos gradativamente mais baixas são inoculadas com o microorganismo analisado. O recipiente no qual o microorganismo não conseguiu multiplicar-se possui a concentração inibitória mínima.

Quando é estabelecido o cálculo da concentração inibitória mínima, esta pode ser comparada com os valores anteriormente conhecidos para a relação entre o microorganismo e o antibiótico. Este dado pode ser de grande valia para o clínico, pois este poderá trocar o tratamento empírico por um tratamento direcionado para o caso em questão.

Fontes:
http://www.conhecersaude.com/exames-medicos/a/3229-Antibiograma.html
http://pt.wikipedia.org/wiki/Antibiogram
http://www.tuasaude.com/antibiograma/
http://pt.scribd.com/doc/15117299/Antibiograma

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.