Hepatoprotetores

Por Débora Carvalho Meldau
Hepatoprotetores são fármacos responsáveis por proteger os hepatócitos (células hepáticas) contra agentes tóxicos, atuando, no mínimo, num dos seguintes mecanismos:

  • Estabilização da membrana do hepatócito;
  • Neutralização dos radicais livres;
  • Aumento da síntese ou inibição da oxidação do glutationa;
  • Impedimento da penetração de substâncias tóxicas no hepatócito;
  • Diminuição da inflamação hepática;
  • Aumento da síntese da atividade de RNA-polimerase.

Encontram-se inseridos no grupo dos hepatoprotetores, os agentes hepatotrópicos, ou seja, que possuem tropismo especial pelo fígado, e também, os agentes lipotrópicos, que levam a retirada de lipídeos ou diminuição da sua deposição no fígado. São utilizados como hepatoprotetores:

  • Colina: este agente é considerado lipotrópico. Acredita-se que seja capaz de promover a conversão da gordura hepática em fosfolipídeos que contêm colina, os quais podem ser transferidos rapidamente do fígado para a corrente sanguínea, evitando, deste modo, a estenose hepática.
  • Metionina: esta é doadora do radical metila, favorecendo, deste modo, a metilação de distintas substâncias químicas, objetivando tornar mais fácil sua eliminação do organismo. A metionina doa radical metila inclusive para a síntese de colina. A metionina contém também um grupo sulfidrina, que aparenta ter exercer efeito anti-necrótico no fígado.
  • Lecitina e betaína: são agentes lipotrópicos que contêm colina, liberando-a por meio de hidrólise.
  • Silimarina: é o princípio extraído do fruto do Carduus marianus. Seu principal componente é o flavonóide silibinina, mas contém também outros componentes, como a isosilibinina, silidianina e silicristina. É conhecida pela sua propriedade anti-hepatotóxica, por meio do impedimento da peroxidação lipídica da membrana celular e das organelas dos hepatócitos, protegendo, assim, a integridade e a função hepática de ocasionais substâncias tóxicas (endógena ou exógena). Atua acelerando a síntese de RNAm, o que intensifica a síntese protéica.
  • Vitamina B12 (hidroxicobalamina): é agente lipotrópico que favorece a síntese protéica hepática. Esta vitamina está envolvida também na formação da colina e na biotransformação de radicais metílicos lábeis.
  • Vitamina E (α-tocoferol) e selênio: acredita-se que estes dois agentes apresentam efeito antioxidante e, assim, apresentariam efeito anti-necrótico.

Fontes:
http://esporteisaude.blogspot.com/2008/10/hepatotoxicidade-e-hepatoprotetores.html
http://www.anvisa.gov.br/legis/resol/2003/rdc/41_03rdc.htm
http://www.deg.com.br/pdf/literatura_pdf.php?cod=344

Farmacologia Aplicada à Medicina Veterinária – Helenice de Souza Spinosa, Silvana Lima Górniak e Maria Martha Bernardi; 4° edição. Editora Guanabara Koogan, 2006.

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.