Hegelianismo

Mestrado em História (UFJF, 2013)
Graduação em História (UFJF, 2010)

O Hegelianismo é uma corrente filosófica desenvolvida por Georg Wilhelm Friedrich Hegel.

O Iluminismo abarcou uma renovação nas concepções filosóficas da humanidade. O modo de entender os homens, a vida e a história das pessoas recebeu novas interpretações que marcaram fortemente a humanidade. Foi o Iluminismo que estruturou uma tradição racionalista no pensamento ocidental, segundo o qual se busca explicação para tudo. O movimento cultural do século XVIII fortificou também a crença no evolucionismo, que argumenta que a humanidade está em constante processo de evolução guiado em sentido à razão.

Um dos pensadores mais importantes do século XVIII e que gerou uma escola ideológica na qual vários outros absorveram, reformularam e adaptaram suas ideias foi o alemão Georg Wilhelm Friedrich Hegel. Este filósofo acreditava no poder do racional e, consequentemente, que tudo poderia ser explicado através de categorias reais. Tendo em vista a capacidade de se compreender todas as coisas e ordená-las através de categorias, Hegel tinha o objetivo de reduzir a realidade em uma unidade que fosse sintética. Sistema o qual que recebe o nome de idealismo transcendental.

O Hegelianismo, a corrente filosófica que ganhou forma a partir dos pensamentos de Hegel, ganhou muito espaço na cultura contemporânea. Seu reflexo na humanidade atingiu vários pontos e foi recebido de várias maneiras. De acordo com o Hegelianismo, haveria uma identidade entre racional e real, o que significa que a realidade seria absolutamente justificável em todas as suas manifestações. Um ponto importante para abarcar essa explicação seria o processo dialético, que permite uma interpretação da realidade através da síntese dos opostos.

O Hegelianismo gerou também a ideia de uma autoconsciência absoluta, sob a qual a humanidade caminharia em sentido à razão continuamente. Tal pensamento liga-se a outro que acredita que a história é a realização de um plano providencial no qual os povos vencedores são integrantes de um evolucionismo de essência divina. A realização terrena dessa forma divina ocorreria através dos Estados.

A complexidade, que pode até parecer paradoxal, do Hegelianismo gerou uma série de correntes interpretativas. Seus seguidores se dividem em vários grupos que, por vezes, rivalizam entre si. O Hegelianismo Ortodoxo dá continuidade aos pensamentos de Hegel sem alterá-los em nada. O Neo-Hegelianismo retém o idealismo e defende a totalidade do estado. O Hegelianismo de Esquerda destaca a dialética e critica a religião. E o Marxismo, corrente mais influente do século XX, conserva toda a dialética, mas dá ao homem o papel de sujeito da história.

Hegel chegou a criticar todas as correntes filosóficas anteriores, argumentando que eram tendenciosas e não históricas. Suas ideias foram um marco para o século XVIII e de tamanho impacto que possui seus traços fortemente inseridos na cultura ocidental até hoje.

Fonte:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Hegelianismo

Arquivado em: Filosofia