Ideologia Positivista

Positivismo foi o termo escolhido por Auguste Comte para designar a corrente filosófica que tinha o culto da ciência e os métodos científicos como seus pilares principais. Guiado pela ciência e pela técnica, o positivismo crê no progresso do sistema capitalista e nos benefícios gerados pela industrialização. Fora isso, prega a necessidade de uma reorganização da sociedade. Esta reestruturação seria apenas de ordem intelectual, de acordo com Comte, seria uma revolução de idéias e não de instituições sociais. O positivismo sofreu influência de outros pensadores franceses contemporâneos a Comte como Saint-Simon e Proudhon.

No pensamento positivista existem três estados de evolução histórica do conhecimento: estado teológico, metafísico e positivo.

O estado teológico seria o ponto de partida da inteligência adquirida pelos seres humanos. “No estado teológico, o espírito humano, dirigindo-se essencialmente suas investigações para a natureza íntima dos seres, as causas primeiras e finais de todos os efeitos que o tocam (...) apresenta os fenômenos como produzidos pela ação direta e continua de agentes sobrenaturais”, disse Comte sobre o primeiro estado no Curso de Filosofia Positiva.

Já sobre o segundo estado (metafísico), que seria uma transição entre o teológico e o positivo, Comte afirma que “os agentes sobrenaturais são substituídos por forças abstratas”. No último estado, o positivo, Comte acredita estar a evolução racional da humanidade. Ele explica que neste estágio “a explicação dos fatos, reduzida então a seus termos reais, se resume de agora em diante na relação estabelecida entre os diversos fenômenos particulares e alguns fatos gerais, cujo número e progresso da ciência tende cada vez mais a diminuir”.

O lema da bandeira do Brasil, “Ordem e Progresso”, foi influenciado pela filosofia positiva, que possui as seguintes características.

  • Realidade – Pesquisa de fatos concretos.
  • Utilidade – Aperfeiçoamento individual ao homem e ao coletivo.
  • Certeza – Lógica da mente do indivíduo, rejeição aos debates metafísicos.
  • Precisão – Conhecimento baseado em estudo rigoroso e sem ambigüidades.
  • Organização – Construção de métodos sistemáticos para ampliar o conhecimento.
  • Relatividade – Aceitação dos conhecimentos científicos relativos.

Fontes:

http://www.doutrina.linear.nom.br/Cientifico/Religi%E3o_Filosofia/O%20que%20%E9%20Positivismo.htm

http://www.cfh.ufsc.br/~simpozio/novo/2216y840.htm

BOURDÉ, Guy e MARTIN, Hervé. As Escolas Históricas. Lisboa: Editora Europa-América, 2000.

Arquivado em: Filosofia