Teoria Crítica

Por Fernando Rebouças
A Teoria Crítica busca aliar a teoria e a prática, trazendo o pensamento tradicional dos filósofos relacionando-o presente. A Teoria Crítica opõe-se à Teoria Tradicional cartesiana. Em 1937, foi lançado um ensaio-manifesto “ Teoria Tradicional e Teoria Crítica” de Max Horkheimer.

Essa obra marca o início da Teoria Crítica da Sociedade que viria a ser desenvolvida por outros pensadores, principalmente pelos cientistas da Escola de Frankfurt. A Escola de Frankfurt possuía o Instituo de Pesquisas Sociais que objetivava entender o desencadear da organização e da consciência dos trabalhadores da indústria moderna.

A Escola de Frankfurt também buscou analisar as relações sociais na Comunicação Social, no Direito, na Psicologia, na Filosofia e na área da Antropologia. A Teoria Crítica orientada a pesquisar o social ficou referida como “teoria da sociedade”.

A Teoria Crítica inicia por meio de uma análise do sistema da economia de mercado, analisando os aspectos referentes ao desemprego, crises econômicas, domínios militares, terrorismo, condições das massas, entre outros.

Sobre outros aspectos, a Teoria Crítica possibilita a autocrítica, o esclarecimento, e a visão sobre as ações e dominações sociais. Por meio dessa análise, acredita-se coibir a repetição da dominação, partindo dos alertas propostos pelos pensadores de Frankfurt. A Teoria Crítica seria capaz de esclarecer a sociedade perante às ordens instituídas e vigentes.

Podemos entender, que a Teoria Crítica oferece base para a composição de uma visão e de um comportamento crítico a respeito dos conflitos existentes entre ciência e cultura, propondo , além da análise, tópicos políticos e de reorganização da sociedade, como forma de superar a “crise de razão”. A “crise de razão” era resultado de uma crítica ao Funcionalismo.

Os pensadores da Teoria Crítica acreditavam que a razão era um elemento de conformidade , a partir daí há uma profunda crítica à fragmentação da ciência, analisam a sociedade por ordens funcionais, passando a mesma ser compreendida como sistemas e subsistemas. Segundo os estudiosos, as disciplinas setoriais desvirtuam a compreensão da sociedade em sua totalidade, ficando todos submissos à razão instrumental, ao pensamento predominante.

Em suma, a Teoria Crítica visa analisar, interpretar e entender as relações sociais com o objetivo de contextualizar os fenômenos que ocorrem na sociedade, não bastaria somente colher, por meio de pesquisas, dados sociais, mas buscar um esclarecimento. Tem a meta de criar uma sociedade e organizações livres de qualquer tipo de dominação.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Teoria_Crítica
http://www.indcultural.hpg.ig.com.br/ateoriacritica.htm