Voltaire e a Teocracia

Por Geraldo Magela Machado
A teocracia (forma de governo que atua sob as supostas ordens de deuses ou de Deus) foi estudada por Voltaire (filósofo francês, 1694-1778). Segundo Voltaire, a maioria das antigas nações foi governada por uma espécie de teocracia, na quais as ordens supostamente vindas dos deuses eram cumpridas pelos sacerdotes, que se auto-intitulavam representantes das divindades na terra.

Estes sacerdotes tinham tanta autoridade que no Egito prescreviam até os modos de comer e beber dos reis criavam-nos na infância e os julgavam após a morte, sagrando-se eles mesmos, muitas vezes, como reis.

A história parece comprovar a existência da teocracia mesmo nos povos mais avançados, pois mal uma nação escolhia um deus para tutor, esse deus já tinha seus sacerdotes, que dominavam o espírito das nações.

Para que esse domínio pudesse ter força, o suposto deus deveria falar, e isso os sacerdotes providenciavam tão logo fossem aceitos como líderes religiosos. As falas dos deuses eram transmitidas através dos oráculos (divindade que respondia às perguntas das pessoas) e era por ordem expressa dos deuses que tudo era executado.

É por conta dessa pretensa autoridade divina que muitos sacrifícios humanos foram executados e mancharam a terra de sangue. Os pais ofereciam seus filhos e filhas para o sacrifício, por acreditarem fielmente que era um desejo e uma ordem vinda dos deuses que governavam seu país.

A teocracia reinou por longo período na história da humanidade e foi a responsável pelas mais terríveis formas de tirania e sacrifícios que a mente humana pode conceber. E paralelamente à noção de divindade, corria a noção de poder que levava a formas abomináveis de governo.

Os sacrifícios eram vistos como um desejo dos deuses aos quais esses povos adoravam, daí o fato de famílias entregarem seus filhos, pois acreditavam que essa era a atitude que agradaria a esses deuses.

Segundo Voltaire, a China foi o único dos antigos Estados a não se submeter ao sacerdócio. Em quase todo lugar, a teocracia estava tão bem estabelecida, que as primeiras histórias eram dos próprios deuses encarnando para governarem os homens, na própria terra.