Associação de Geradores

Por Lucas Martins
A associação de geradores serve para encontrarmos uma certa d.d.p. (diferença de potencial - tensão), para um circuito, que não pode ser fornecida por apenas um gerador. Então, pode-se associar os geradores em série e em paralelo.

Associação em Série
A associação de geradores em série e muito comum em aparelhos eletrônicos atuais, especialmente nos "controles remotos". Se você notar, verá que as pilhas são colocadas em posições contrárias, deixando que o pólo positivo de uma pilha se ligue ao pólo negativo da outra pilha. Com isso, a DDP fornecida pelas pilhas será maior.

Nesse tipo de associação, a corrente elétrica que passa em todos os geradores é a mesma. Assim, i = i1 = i2 = i3 ... . O gerador equivalente terá força eletromotriz igual à soma das forças eletromotriz dos geradores: Eeq = E1 + E2 + E3 ... . A resistência interna do gerador equivalente é calculada como se fosse uma associação de resistores em série: req = r1 + r2 + r3 ... .

Logo, a tensão (ddp) equivalente dos geradores será dada pela fórmula:

Veq = Eeq - req . i

Associação em Paralelo
Na associação em paralelo, é fundamental que todos os geradores tenham força eletromotriz IGUAIS, caso contrário, os geradores de menor f.e.m. se comportariam receptores, o que não é o que queremos. Assim, Eeq = E ... . Como na associação de resistores em paralelo, a corrente equivalente será igual à soma das correntes que passam pelos geradores: ieq = i1 + i2 + i3 ... . Quanto às resistências internas, utilizamos a fórmula 1/req = 1/r1 + 1/r2 + 1/r3 ... .

Com base nas equações dadas acima, é possível construir a equação da d.d.p do gerador equivalente:

Veq = Eeq - req . i