Espirro

O espirro é a expulsão de ar de forma violenta pelo nariz, com o objetivo de eliminar alguma partícula estranha e irritante, e até mesmo microorganismos. Portanto, o espirro é um mecanismo de defesa do organismo.

Foto: RioPatuca / Shutterstock.com

Foto: RioPatuca / Shutterstock.com

A velocidade do espirro pode chegar até 160 km/h. Não é aconselhável segurar um espirro, pois a pressão provocada no ouvido e nas via aéreas superiores é tão forte que pode causar vários problemas, como vertigens, surdez e até ruptura do tímpano.

Os nervos dos olhos e do nariz estão muito próximos e alguns possuem atividades relacionadas, portanto, quando um estimulado, o outro reage com algum tipo de estímulo, por isso que os olhos se fecham quando espirramos.

Reflexo do espirro

É muito semelhante ao reflexo da tosse. Quando há o estímulo nas vias aéreas superiores por alguma substância estranha ou irritação, as vias aéreas enviam impulsos nervosos para o bulbo, passando pelos nervos vagos. A partir dos eventos nos circuitos neuronais, uma seqüência de eventos ocorre. A úvula é deprimida para que grandes quantidades de ar passem para o nariz de forma rápida, para que possa eliminar partículas estranhas limpando o nariz.

O espirro normalmente é provocado por substâncias como poeira, grãos de pólen, pêlos, entre outras partículas que causam alergias.

Durante um espirro, cerca de 40.000 gotículas são expelidas.

Histórico e crenças

Aristóteles (384-322 a.C.) afirmava que o espirro era um ato sobrenatural. Crenças mais antigas acreditavam que o espirro era um sinal dos Deuses.

Algumas culturas acreditavam que o espirro era um mau presságio, como entre os Pagãos de Flanders.

Tibério, Imperador, que viveu na era de Cristo, tinha o costume de abençoar espirros.

Na Noruega, quando uma pessoa doente espirrava, acreditavam que era sinal de que ela não morreria.

São muitas as crenças acerca do espirro, que vão de sinais de Deus, confirmações Divinas até maus presságios, acreditando até que espirros fossem a cura de soluços.

Fontes
Guyton, Artur C. Tratado de Fisiologia Médica – Rio de Janrio – RJ: Guanabara Koogan S.A.

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.
Arquivado em: Fisiologia, Saúde