Folhetim

As características fundamentais e sempre presentes nos folhetins são duas, uma relacionada à forma e outra ao conteúdo. A primeira diz respeito à sua periodicidade, isto é, não aparece inteiro em um jornal e/ou revista, é dividido em capítulos, sendo necessário esperar a próxima edição do meio de comunicação para acompanhar o texto.

O enredo, necessariamente, necessita prender a atenção do leitor e criar uma certa expectativa para garantir que este irá aguardar para acompanhar o desenrolar da narrativa. Um grande exemplo, transmitido para a rede televisiva, são as novelas: diárias e dividas em capítulos que seguem uma sequência, atraem muitos telespectadores que são fiéis ao programa.

De origem francesa, o folhetim foi trazido para o Brasil em meados do século XIX e eram periódicos que apareciam em jornais destinados à corte. Os assuntos abordados eram inúmeros, focando na condição do ser humano. A partir desta temática, as ambientações e as tramas criadas eram as mais variadas, conquistando o público leitor.

Tamanho foi o sucesso de leitura entre a população, que as pessoas desfavorecidas socialmente interessaram-se pelo folhetim e seu deleite, o que contribuiu para uma "nova identidade nacional urbana". Sendo que as influências europeias - onde nasceu o gênero em questão - chegaram também a este grupo social.

Referência:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Folhetim

Arquivado em: Gêneros Literários