Histonas

Por Débora Carvalho Meldau
De acordo com a biologia, histonas são as principais proteínas presentes no nucleossomo. Possui um importante papel na regulação dos genes, sendo encontradas no núcleo de células eucarióticas.

O conhecimento da existência das histonas ocorreu em 1884, por Albrechet Kossel. A palavra histona deriva da palavra de origem alemã “Histon”, de origem duvidosa: talvez do grego histanai ou de histos.  Até a década de 1990, acreditava-se que as histonas desempenham apenas o papel de matriz para o enrolamento do DNA, sendo posteriormente elucidado o papel regulador dessas proteínas.

São conhecidas 6 classes de histonas:

  • H1: também conhecida como H5. A estrutura básica da cromatina é formada por 200 pares de bases de DNA ligados a um octâmero de histonas, duas moléculas de cada histona e uma molécula de histona H1.
  • H2A e H2B: estas apresentam peso molecular consideravelmente inferior ao da H1. Ambas são ricas em lisina.
  • H3 e H4: estas histonas são ricas em arginina.
  • Histonas dos Archaea: duas histonas de cada classe (H2A, H2B, H3 e H4) unem-se para dar origem a um nucleossoma, em associação com o DNA. A histona H1 é imprescindível para que os complexos histona-DNA originem uma fibra de 30 nm de espessura, enrolando deste modo o DNA de uma forma ainda mais eficaz.

Estas proteínas desempenham um papel similar ao da matriz na qual o DNA encontra-se enrolado. Ao compactarem o DNA, possibilitam o encaixe nuclear dos genomas eucarióticos de amplas dimensões. Modificações pós-translacionais podem ocorrer, o que leva ao desempenho de um importante papel na regulação genética, de maneira epigenética.

O progresso biotecnológico ocorrido nos últimos anos possibilitou a melhor compreensão de como a expressão genética é modulada por fatores internos e externos, dando origem a uma área de estudo conhecida como epigenética.

Apesar da grande abrangência do termo, a epigenética diz respeito especialmente às modificações do material genético que são estáveis após inúmeras divisões celulares. As alterações epigenéticas possuem um importante papel no processo de diferenciação celular, consentindo a existência de células com funções diferentes, embora carreguem o mesmo DNA. Isto resulta necessariamente na existência de códigos epigenéticos que atuam na regulação genômica, exercida especialmente por grupos metil e pelas histonas.

Fontes:
http://www.guia.heu.nom.br/histona.htm
http://pt.wikipedia.org/wiki/Histona
http://guia.bio.br/?pasta=disciplinas&pasta2=biocel&pagina=ac6