Copacabana

Por Fernando Rebouças
A região do atual bairro de Copacabana, na cidade do Rio de Janeiro, era denominada na língua tupi-guarani como Sacopenapã que significa “caminho batido pelas socós”, “socó” é uma ave pernalta da família das garças. A palavra Copacabana advém da língua inca e significa “Mirante Azul”.

Copacabana também era a nomenclatura de uma península entre Bolívia e Peru, onde colonizadores espanhóis construíram uma igreja para a Nossa Senhora das Candeias, posteriormente conhecida mais por Nossa Senhora de Copacabana, em virtude do nome da península.

Em 6 de julho de 1892, foi construído o túnel Alaôr Prata para a passagem de bondes, abrindo acesso para criação e expansão do bairro. Com a abertura de novos túneis como o Túnel Novo em 1906, e a duplicação do túnel Marques Porto, Copacabana começava a crescer, sendo ocupada pela sua população até 1940.

Em meados do século XX, o bairro torna-se populoso. A Avenida Atlântica foi inaugurada em 1906, com 6 metros de largura e 4km de extensão. Na Avenida Atlântica foi construído o Hotel Copacabana Palace. O Copacabana Palace foi construído em 1923, sendo cassino até 1946.

O recente filme Copacabana, de Carla Camurati tratou de expressar a nostalgia pelos tempos românticos em que o bairro viveu. Segundo o Braguinha, Copacabana era a princesinha do mar.

"Existem praias tão lindas cheias de luz...
Nenhuma tem o encanto que tu possuis
Tuas areias...
Teu céu tão lindo...
Tuas sereias
Sempre sorrindo...

Copacabana, princesinha do mar,
Pelas manhãs tu és a vida a cantar...
E, à tardinha, o sol poente
Deixa sempre uma saudade na gente...

Copacabana, o mar eterno cantor
Ao te beijar, ficou perdido de amor
E hoje vivo a murmurar
Só a ti,Copacabana, eu hei de amar
"

Música: Copacabana
Autoria : João de Barro e Alberto Ribeiro
Interpretação: Dick Farney