Economia da América do Norte

Mestrado em Geografia (UFSC, 2015)
Graduação em Geografia (UFSC, 2012)

A economia da América do Norte caracteriza-se por uma grande diversidade de produtos e serviços, por uma forte utilização de tecnologia e por uma mão de obra, em geral, especializada. Percebe-se também uma grande disparidade regional quando comparamos a capacidade produtiva dos países ao norte, Canadá e Estados Unidos, e o México, ao sul. Mesmo dentro dos países temos desigualdades regionais, pois todos possuem territórios de proporções continentais. Em 1992, esses países criaram o Northern American Free Trade Agreement (NAFTA), acordo de livre mercado que prevê o fim das barreiras tarifárias entre os três países.

Indústria

O grande motor econômico do continente norte americano é sem dúvida nenhuma a forte indústria do Canadá e dos Estados Unidos, principalmente deste último. Com alto emprego de tecnologia de ponta e mão de obra especializada, esses dois países são responsáveis por grande parte dos itens manufaturados do continente americano – que também conta com América do Sul e Central.

Podemos destacar produtos com alto valor agregado, como automóveis, eletrodomésticos e eletroeletrônicos. No que se refere à indústria pesada, esses parques industriais se localizam principalmente ao nordeste dos Estados Unidos e sudeste do Canadá, na região dos Grandes Lagos, e também no sudoeste dos Estados Unidos, mais precisamente no Vale do Silício, na Califórnia.

A indústria mexicana é uma das mais desenvolvidas da América Latina, entretanto não faz frente aos seus vizinhos do norte e se caracteriza principalmente pela produção têxtil, de alimentos industrializados e produtos químicos, se concentrando na região da Cidade do México e Guadalajara. Uma característica da indústria mexicana são as unidades produtivas especializadas em finalizar a montagem de produtos importados, as maquiladoras. Este tipo de indústria teve um grande impulso com a entrada do México no NAFTA, essas unidades estão concentradas no norte do México, principalmente no estado de Sonora.

Agricultura

A América do Norte possui uma agricultura diversificada, com cultura de milho, soja, e trigo nas planícies do sul do Canadá e no centro-oeste dos Estados Unidos, além da produção de frutas de clima quente, na Califórnia e no sudoeste estadunidense, e frutas de clima frio na região dos Grandes Lagos e no litoral nordeste dos EUA e sudeste do Canadá. A agricultura nestes países tem um forte aparato tecnológico e muitos subsídios governamentais para manter a competitividade tanto no mercado interno, quanto externo. O México produz uma grande variedade de culturas agrícolas como feijão e milho, bases da alimentação da população mexicana, além de café, frutas, algodão, sisal e soja. Esses três últimos são voltados principalmente para exportação. O México, assim como a maior parte da América Latina, sofre de grave concentração de terras, o que dificulta o desenvolvimento de uma agricultura sustentável. A pecuária é bem presente no continente norte americano, sendo forte a presença de rebanhos ovinos no sul do Canadá e, principalmente, de gado bovino no centro oeste e sudeste dos EUA, com uma forte produção de leite e derivados. Este setor, assim como na agricultura, tem um forte emprego de tecnologia. No México, destaca-se a presença de rebanhos bovinos e suínos.

Mineração e Petróleo

A América do Norte possui grandes reservas de minerais, como o petróleo no centro sul e no Alasca, nos Estados Unidos, no oeste do Canadá e no leste do México, e gás natural nos mesmos espaços onde se encontram as reservas petrolíferas. O Golfo do México é repleto de plataformas de extração de petróleo. O urânio é muito explorado no norte do Canadá, assim como a prata nas regiões desérticas do México. É possível encontrar ainda depósitos de carvão, ferro, cobre, níquel, chumbo e zinco em diferentes regiões da América do Norte.

Referências bibliográficas:
http://escola.britannica.com.br/article/482060/America-do-Norte
http://www.sogeografia.com.br/Conteudos/Continentes/America/?pg=4
http://www.facom.ufba.br/com112_2000_1/geo_on_line/nafta.htm

Arquivado em: América, Economia