Ilhas Crozet

As Ilhas ou Arquipélago Crozet, como são conhecidas solenemente, são consideradas uma das maiores riquezas naturais francesas na região denominada sub-antártica, localizada no Oceano Índico, não muito distante da Antártida e demarcada a 2.425 km da ilha de Madagascar.

Estas ilhas vulcânicas e não habitadas compõem uma das cinco divisões administrativas das Terras Austrais e Antárticas Francesas. Aí é possível encontrar um tesouro composto por flora e fauna exuberantes e ricas, além de terras preciosas na geração de vida. Ignorando-se as mínimas ilhas que gravitam ao redor do arquipélago e as rochas batidas pelo oceano, pode-se calcular a presença de seis ilhas, praticamente todas de origem vulcânica, divididas em dois grupos – três no lado ocidental e as restantes na porção oriental.

Entre elas predominam a Ilha dos Porcos, a Ilha da Possessão, a mais vasta, com 150 quilômetros quadrados, a Ilha do Leste, a Ilha dos Pinguins e a mais significativa delas, a Ilha Crozet, que abarca mais de 350 quilômetros quadrados. Todas são habitadas apenas por orcas; cetáceos conhecidos como cachalotes; pinguins; leões marinhos; aves de todas as espécies, entre outros representantes da fauna, sem falar na rica fauna deste refúgio natural.

A presença humana se restringe à estação de pesquisa Alfred Faure ou Porto Alfred, localizada na região leste da Ilha da Possessão e ativa desde 1963. A temperatura no arquipélago é normalmente gelada, acompanhada por mais de 300 dias de precipitação pluviométrica. Os ventos apresentam uma velocidade que transcende os 100 km/h e são bem frequentes. No verão é possível encontrar o índice de 18°C, enquanto no inverno ele atinge os 2 ou 3 graus Celsius.

Pesquisas indicam que o Planalto Crozet, do qual se originam os picos mais elevados do arquipélago, foi configurado aproximadamente 50 milhões de anos atrás. Esta localidade foi encontrada no dia 24 de janeiro de 1772, pelo grupo de Marc-Joseph Marion du Fresne, aventureiro francês que chegou este ano na Ilha da Possessão, incorporando-a ao território da França. Ele mesmo intitulou estas ilhas em honra de seu segundo oficial Jules Crozet.

No século XIX eram comuns as expedições em busca de focas, o que provocou a eliminação destes animais no arquipélago. Logo em seguida as baleias se tornaram as novas vítimas dos humanos, particularmente dos baleeiros da região de Massachusetts. Outro evento rotineiro neste local são os naufrágios; várias tripulações que sobreviveram a eles permaneceram por algum tempo nestas ilhas. Era tão alta a incidência destes acidentes que por um período a Royal Navy manteve um navio que se dirigia em intervalos de tempo a esta localidade em busca de sobreviventes.

Em 1955 o arquipélago, que antigamente era considerado como um anexo de Madagascar, foi incluído entre as Terras Austrais e Antárticas Francesas. Em 1938 elas já tinham sido instituídas como reserva natural. A estação científica aí localizada abriga de 18 a 30 pessoas e empreende estudos de natureza meteorológica, biológica e geológica; ela preserva igualmente um sismógrafo.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Ilhas_Crozet
http://planetearth.nerc.ac.uk/news/story.aspx?id=305
http://francia.costasur.com/pt/islas-crozet.html

Arquivado em: Geografia