Mata Ciliar e Mata de Galeria

Por Fernando Rebouças
Mata Ciliar e Mata de Galeria são vegetações existentes em terrenos drenados ou mal drenados, estão associadas a cursos d´agua . No Cerrado, a mata ciliar segue os rios de médio e grande porte, sendo uma mata estreita.

Geralmente, a mata ciliar incide em terrenos acidentados. Ocorre diferentes graus de queda das folhas na estação seca.

Na mata de galeria há maior resistências das folhas nas estações secas. A mata de galeria possui dois subtipos, a não-inundável e a inundável. No Cerrado, por exemplo, ainda há a mata seca que apresenta três subtipos : Sempre-verde, Semidecídua e Decídua.

Na vegetação de galeria é comum a existência de espécies epífitas , que são plantas que utilizam uma árvore como suporte ao seu crescimento, não fazendo da mesma fonte de sua nutrição, pois não são parasitas, por exemplo as orquídeas.

É comum que a vegetação da mata de galeria não seja padronizada, há casos de vegetação não-inundável em área inundada . As espécies comuns nos dois subtipos são :

• Protium heptaphyllum (breu, almécega);
• Psychotria carthagenensis (erva-de-gralha), Schefflera morototoni (morototó);
• Styrax camporum (cuia-do-brejo);
• Symplocos nitens (congonha);
• Tapirira guianensis (pau-pombo, pombeiro);
• Virola sebifera (virola, bicuíba);
• Protium heptaphyllum e Tapirira guianensis.

Fontes
http://www.agencia.cnptia.embrapa.br/Agencia16/AG01/arvore/AG01_61_911200585234.html
http://www.agencia.cnptia.embrapa.br/Agencia16/AG01/arvore/AG01_66_911200585234.html