Transporte ferroviário

Graduado em Geografia (Centro Universitário Fundação Santo André, 2014)

O transporte ferroviário é aquele em que o transporte é feito por vagões interligados a uma locomotiva que os carrega sobre trilhos de ferro (ferrovias), podendo trasportar produtos e pessoas, utilizando plataformas de embarque e desembarque.

Foto: ehadder / Shutterstock.com

Esse modal de transporte é utilizado principalmente para longas distâncias e grandes quantidades de cargas, pois possui compartimentos para grandes cargas e com menor custo de frete e manutenção, maior segurança contra acidentes e roubos, pouco gasto de energia e rotas exclusivas. Geralmente os produtos transportados pelo transporte ferroviário são de baixo valor agregado (commodities).

Dentre as vantagens que o transporte ferroviário possui, estão o baixo custo de frete, o menor índice de roubos, a inexistência de pedágios, o baixo risco de acidentes, a baixa poluição do meio ambiente, possui baixo custo de manutenção, transporta grandes quantidades e a longas distâncias.

Assim como os outros modais o transporte ferroviário possui desvantagens, entre as quais estão o trafego limitado aos trilhos, a malha ferroviária insuficiente, a malha ferroviária sucateada, necessita de entrepostos especializados, sistema de bitolas inconsistente (distância interna da face interior dos trilhos por onde deslizam as rodas de ferro) podendo ser mais largas que outras, depende de outros modais pra finalizar o destino do produto, possui pouca flexibilidade dos equipamentos e exigência de embalagens mais seguras. Além de ter dificuldades em áreas de aclive e declive acentuado, necessitando de um investimento maior na sua infraestrutura e na manutenção, necessitando de transbordo ou reembarque das mercadorias para chegar ao seu destino.

Trilhos de uma ferrovia. Foto: © Lucas Martins / InfoEscola

No Brasil a extensão da malha ferroviária é de 28,1 mil km, onde foram transportadas no ano de 2014 140.356.356 de toneladas de cargas, com 3.340 locomotivas e 103.141 vagões em circulação. Os principais produtos que são carregados pelo transporte ferroviário no Brasil são: o minério de ferro, a soja, o açúcar, o carvão mineral, os grãos, o milho, o farelo de soja, o óleo diesel, a celulose, os produtos siderúrgicos e o ferro-gusa. A malha ferroviária brasileira é a maior da América Latina em transporte de cargas. No país existem 3 tipos de bitolas: a larga com 1,6 metro, a métrica com 1 metro e a mista. A grande parte da malha ferroviária no Brasil se concentra entre as regiões sudeste e sul, sendo visadas principalmente para o transporte de cargas.

As locomotivas podem estar a frente puxando os vagões, mas também podem estar no meio, chamadas de locomotivas de distribuição, ou no fim onde são chamadas de locomotivas de auxílio. Podem ser movidas por eletricidade ou a óleo diesel.

No Brasil o órgão responsável pela seguridade do transporte ferroviário é a Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT), que está filiada ao Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil. Para a construção e manutenção das ferrovias a responsável é a VALEC, uma empresa pública controlada pela União. A VALEC administra, coordena, controla, executa e fiscaliza as obras que envolvem a infraestrutura das ferrovias no país. É essa empresa que gera atualmente as ferrovias de transporte de cargas em âmbito federal.

Bibliografia:
http://logisticaparatodos-com-b.webnode.com.br/saiba-mais/os-05-cinco-modais-de-transporte-/
http://www.techoje.com.br/site/techoje/categoria/detalhe_artigo/670
http://www.transportes.gov.br/transporte-ferroviario.html

Arquivado em: Geografia, Transporte