Transporte rodoviário

Graduado em Geografia (Centro Universitário Fundação Santo André, 2014)

O modal de transporte rodoviário é aquele em que consiste o transporte através de ruas, estradas e rodovias, podendo ser pavimentadas ou não, onde se utiliza os automóveis, os ônibus e os caminhões para a locomoção de produtos e pessoas.

Foto: Anton Violin / Shutterstock.com

Esse transporte é utilizado geralmente para curtas distâncias, produtos com alto valor agregado e produtos perecíveis, porém possui um valor de frete mais alto do que o hidroviário e o ferroviário. Também utilizado para o transporte de produtos finalizados e semi-finalizados.

O transporte rodoviário possui algumas vantagens como uma flexibilidade de tráfego devido à utilização das vias terrestres, possui agilidade de transporte, elimina o manuseio entre origem e destino do produto (sendo retirado de sua origem e levado ao seu destino sem manuseios), não requer embalagens exigentes, se adapta aos outros modais de transporte, é amplamente disponível e de fácil contratação e gerenciamento. Esse meio de transporte é ideal para curtas e médias distâncias. Ele também pode ser responsável por completar a rota de destino de algum produto que utiliza outros modais para chegar, como carregamento de caminhões em portos por exemplo.

Por outro lado há desvantagens com a utilização desse modal de transporte, como, o limite de carga, alto custo de operação e manutenção do automóvel, alto risco de roubo do produto e do transporte, risco de acidentes, congestionamentos e engarrafamentos que atrasam o transporte pelas vias. É o modal que mais polui devido a queima dos combustíveis fósseis que utiliza para geração de energia, alto valor de transporte, curta duração da frota e é menos competitivo para longas distâncias.

No Brasil o transporte rodoviário é o mais utilizado, tanto para locomover produtos, quanto pessoas. No país há 1,7 milhão de km de estradas, o que amplia a utilização desse transporte. Dentre as estradas que o país possui 12,9% são pavimentadas e 79,5% não são pavimentadas e 7,5% são estradas planejadas. Entre as rodovias 14,8% são de rodovias estaduais, 78,1% são rodovias municipais e 7% são rodovias federais. Dentre essas rodovias podem ser encontradas as rodovias simples e as duplicadas. No país quem coordena o transporte rodoviário é o Departamento Nacional de Transportes Terrestres (DNIT), que está vinculado ao Ministério dos Transportes.

A malha rodoviária brasileira foi criada para interligar os principais centros econômicos com os centros de produção e de carga e descarga, como portos, aeroportos e estações, para completar o destino do produto com o auxílio dos transportes rodoviários, o que ampliou o número de indústrias do ramo automotivo a se instalarem no Brasil a partir da década de 1950, como a Mercedes Benz, Volkswagen e a General Motors (GM).

Muitas das rodovias no Brasil atualmente apresentam más condições e conservação ruim, aumentando o custo de manutenção dos veículos e diminuindo sua vida útil (18 anos).

Dentre os caminhões, que são os principais meios de transporte de produtos utilizado no transporte rodoviário, podem ser classificados em: caminhão, quando só há uma parte, carreta quando são duas partes, bitrem quando há duas ou três partes e treminhão quando são três partes.

Bibliografia:
http://logisticaparatodos-com-b.webnode.com.br/saiba-mais/os-05-cinco-modais-de-transporte-/
http://www.techoje.com.br/site/techoje/categoria/detalhe_artigo/670
http://www.transportes.gov.br/transporte-rodoviario.html

Arquivado em: Geografia, Transporte