Atlântida brasileira

Por Fernando Rebouças
Um verdadeiro planalto submerso a 1,5 mil quilômetros da costa brasileira foi encontrado em maio de 2013, o trabalho é resultante de projeto de cientistas brasileiros no Oceano Atlântico. A região foi detectada a partir da expedição Iatá-Piuna (Piuna - navegando em águas profundas e escuras em tupi-guarani),  executada a bordo de um submersível japonês, equipamento que possui a capacidade de atingir 6,5 mil metros de profundidade. A expedição é uma parceria firmada entre Brasil e Japão.

O planalto submerso recebeu o nome de “Atlântida brasileira”, em referência à mitológica Atlântida, um estado-ilha que teria existido no oceano, com força capaz de ter dominado a África e a Europa há milhares de anos.

A “Atlântida brasileira” está situada entre os estados do Rio de Janeiro e São Paulo. A mesma expedição já havia estudado outras áreas geológicas da costa do país, incluindo o “Dorsal de São Paulo”, região que apresenta uma cadeia de montanhas  nas proximidades do litoral do estado.

Os geólogos brasileiros acreditam que a “Atlântida brasileira” representa indícios de um continente que submergiu (afundou) durante o processo de separação dos continentes da África e da América do Sul, no momento que surgiu o Oceano Atlântico. Segundo a direção do CPRM (Serviço Geológico do Brasil), em 2011, na região de Elevação do Rio Grande, foram encontradas exemplares de granito e rocha continental. A Elevação do Rio Grande se refere a uma cordilheira marítima em águas brasileiras e internacionais.

O submersível japonês é o submarino Shinkai 6500, que tem como base o navio oceanográfico Yokosuka. O intuito inicial era o de recolher, observar e estudar amostras de afloramentos de rochas e sedimentos a partir de 2.000 metros de profundidade.

Nessas regiões submersas poderão ser encontrados importantes recursos naturais de alto valor econômico como o gás natural, hidratos de metano e até petróleo. Atualmente, o Japão é o país líder no domínio de tecnologia e conhecimentos em exploração submarina para fins econômicos. Por enquanto, a preocupação dos geólogos é científica.

Fontes:
http://oglobo.globo.com/ciencia/encontrada-no-fundo-do-oceano-atlantida-brasileira-8311057
http://www.tribunahoje.com/noticia/62765/tecnologia/2013/05/06/rochas-encontradas-no-fundo-do-mar-sugerem-atlantida-brasileira.html