Rio Solimões

Por Emerson Santiago
É conhecido pelo nome de Solimões um rio brasileiro localizado no oeste do estado do Amazonas, e que ocupa uma área de 57.922km2. Fonte de alimento, transporte, comércio, pesquisas científicas e lazer, o Solimões é de vital importância na vida e economia da população do norte do Brasil, e patrimônio nacional.

Com sua nascente no Peru, o Solimões entra em território brasileiro através do município de Tabatinga, e possui um extensão navegável total de 1620 km. Sua profundidade varia entre 8 e 20m, sendo seu período de enchente de fevereiro a junho e de vazante de julho a outubro. O nome Solimões é uma referência aos nomes dos povos que originalmente habitavam suas margens, os Sorimões (ou ainda Joriman ou Sorimão), termo derivado da palavra latina solimum, referência ao veneno utilizado nas pontas de flechas e dardos destes povos.

Na área mais próxima à fronteira, o nome depende do idioma do habitante local. Mesmo após o cruzamento da fronteira, os brasileiros geralmente continuam a chamar o rio de Solimões ou se referem a ele como o Marañón, nome que os peruanos geralmente só aplicam ao trecho mais ao interior do Peru, antes do Marañón e Ucayali se unirem para criar o que eles, e a maioria dos países do mundo (excluindo o Brasil), chamam de rio Amazonas.

Como afluentes na sua margem direita estão os rios Javari, Jutaí, Juruá e Purus; na margem esquerda localizam-se os rios Içá e Japurá. As cidades percorridas pelo Solimões são São Paulo de Olivença, Amaturá, Santo Antônio do Içá, Tonantins, Jutaí, Fonte Boa, Tefé, Coari, Codajás, Anamã, Anori, Manacapuru, até a chegada em Manaus, onde ao encontrar o Rio Negro, recebe o nome de Rio Amazonas. Merece destaque também o encontro das águas deste e do rio Negro, um espetáculo natural, pelo contraste formado pelas águas de ambos (o Solimões apresenta uma água de cor bastante clara, e o Negro, como o próprio nome já diz, é constituído por uma água escura).

Altamente navegável, em seu leito desde Tabatinga até Manaus navegam uma grande variedade de embarcações, entre elas as de cargas e passageiros, embarcações ribeirinhas, de turismo e lazer, balsas de cargas, balsas de derivados do petróleo, navios mercantes e navios graneleiros. Entre os produtos transportados através do rio destacam-se os derivados de petróleo, gás, madeira, produtos agrícolas, os produtos manufaturados em Manaus, numa rede de abastecimento dos municípios do interior do estado ao longo do rio Solimões. Além deste, há um crescimento também do comércio ilegal, sendo hoje a cidade de Tabatinga uma importante entrada de drogas em território brasileiro, com destaque para o crack.

Bibliografia:
Solimões. Disponível em: <http://en.wikipedia.org/wiki/Solim%C3%B5es>. Acesso em: 15 nov. 2012.

Rio Solimões. Disponível em: <http://www.ahimoc.gov.br/rios/index/ver/id/4>. Acesso em: 15 nov. 2012.

Mapa: http://www2.transportes.gov.br/bit/04-hidro/3-rios-terminais/rios/00-Figuras/I-solimoes.htm