Baphomet

Mestrado em História (UFJF, 2013)
Graduação em História (UFJF, 2010)

Baphomet é uma figura mística referida no processo de condenação dos Cavaleiros Templários e nas divagações ocultistas de Eliphas Levi.

Na última década do século XIII, o rei francês Felipe IV iniciou uma perseguição contra os Cavaleiros Templários após não ser aceito na Ordem. Interessado na riqueza dos cavaleiros, o monarca da França forjou uma série de acusações contra os monges guerreiros e promoveu um grande aprisionamento dos mesmos em 1307. Felipe IV espalhou cartas pela Europa disseminando as infrações supostamente praticadas pelos cavaleiros e sugerindo a prisão dos mesmos. Entre as acusações dos mesmos, encontravam-se práticas de sodomia, homossexualismo, enriquecimento ilícito e o culto a uma forma de expressão herege. Esta adoração ao que seria o diabo era representada pela figura de Baphomet. Como todas as outras acusações, os argumentos eram falsos. O mais próximo que se encontrou de algo parecido com Baphomet foi uma imagem de cabeça humana dotada de três ou quatro faces, sendo que cada uma representava a face de Deus ou de Hermes. Entretanto, Baphomet foi um argumento muito valioso e fundamental para se atacar os Templários, influenciando diretamente na dissolução da Ordem.

Não se sabe ao certo a origem da palavra Baphomet, mas, no século XIX, repercutiu a ideia de que o termo significaria “Batismo da Sabedoria”. Porém, além desta explicação, existem diversas outras que tentam justificar a origem do termo. O certo é que a figura ganhou popularidade mesmo com Eliphas Levi, o qual difundiu a imagem de um ser com a cabeça de um bode e o corpo de um homem. A famosa representação que consta no livro Dogmas e Ritual da Alta Magia, de Eliphas Levi, é permeada por significados esotéricos e representam boas qualidades ou aspirações para o homem. Algo muito diverso da suposta magia negra praticada pelos Templários.

Fonte:
http://www.guatimozin.org.br/artigos/Bafomet.htm

Arquivado em: Idade Média