Chegada do Homem à América

Por Fernando Rebouças
Estima-se que o homem tenha chegado ao continente Americano antes do ano 20.000 a.C. O homem, inicialmente , teria vindo da Sibéria, no período em que o nível do mar estava baixo e o Estreito de Bering poderia ser atravessado sem a necessidade de grandes investidas náuticas.

Pouco a pouco, o homem teria desbravado a América, se espalhado, ramificando grupos e tribos seminômades,  e civilizações de cultura avançada como os Maias. Acredita-se que por volta do ano 7.000 a.C. os índios de terras andinas já dominavam a agricultura.

A agricultura, também descoberta em outras regiões, permitiu  o desenvolvimento de algumas tribos e o surgimento de povos mais avançados  nas regiões atuais do México e Peru. Foram civilizações, que antes da conquista espanhola, apresentavam formação de estado, classes sociais, organização política, traços culturais próprios e mão-de-obra especializada.

Sabiam cunhar o ouro, desenvolviam certo nível de manufatura e administração pública. Outras tribos, como as encontradas no atual território brasileiro, apresentavam práticas extrativistas como a caça e coleta de recursos naturais para a sobrevivência.

Quando a América foi descoberta e dominada pelos navegantes europeus, o continente do "Novo Mundo" já era habitado por milhares de nativos. Há duas teorias que tentam explicar como o homem nativo teria conseguido chegar à América milhares de anos antes.

Segundo a teoria transoceânica, há 10.000 anos,  os homens da Polinésia (Oceania) migraram para a América do Sul utilizando pequenas embarcações regidas por correntes marítimas. A teoria de Bering defende a tese que a chegada do homem teria sido proveniente da travessia do Estreito de Bering, situado entre o extremo leste do continente da Ásia e o extremo oeste do continente americano, atualmente separados por 85 km.

Pelo Estreito de Bering, a travessia teria sido feita há mais de 50.000 anos, acima das estimativas tradicionais, referente à vinda de nômades asiáticos que fugiam dos terrenos congelados na era glacial. As estimativas de tempo variam de uma tese para outra.

Em 2008, segundo análise sobre fezes humanas fossilizadas, detectou-se pelo DNA que o homem já habitava a América do Norte há mais de 14.000 anos. As fezes foram encontradas numa caverna situada no Estado de Oregon, EUA. A análise sobre os coprólitos (fezes fossilizadas) foi feita por pesquisadores da Universidade de Oregon. Pela análise, a universidade defendeu a teoria de Bering, pois o DNA identificou tipos genéticos asiáticos nos coprólitos.

Fontes:
http://ligadosnahistoria.blogspot.com/2010/04/o-povoamento-da-america.html
http://noticias.terra.com.br/ciencia/interna/0,,OI2726141-EI295,00.html