Economia brasileira nos anos 90

Por Felipe Araújo
A economia brasileira nos anos 90 teve seu marco inicial ao final do ano de 1989. Alguns anos antes, em 85, a política do País tinha passado por um processo de redemocratização, que foi consolidado em 89 com as primeiras eleições diretas para a Presidência da República em mais de três décadas. No primeiro turno, concorreram os seguintes candidatos: Fernando Collor de Mello, Luís Inácio Lula da Silva, Roberto Freire, Enéas Carneiro, Afif Domingos, Leonel Brizola, Mário Covas e Ulisses Guimarães.

Alguns anos antes, o candidato Fernando Collor de Mello havia ganhado destaque nos meios de comunicação, sendo conhecido como o “caçador de marajás”, um homem de índole que combatia os abusos dos funcionários públicos que eram utilizados como laranjas para as calamidades de riquezas que favoreciam poderosos políticos e empresários.

Mesmo com apoio de uma grande rede de telecomunicações, a Globo, e com base sólida da direta do Brasil,  Fernando Collor demonstrou nervosismo e insegurança nos debates presidenciais que participou. De acordo com alguns historiadores, tinha planos mirabolantes e ideias vazias. Em um dos debates que foram transmitidos pela Rede Globo, o candidato demonstrou-se incoerente a maior parte do tempo, mas, em um edição posterior exibida em um telejornal, a empresa televisiva apenas apresentou os momentos verossímeis do discurso de Collor, colocando-o como o vencedor do debate.

No documentário “Muito Além do Cidadão Kane”, que teve sua produção pela BBC londrina, é mostrado o relacionamento entre a Rede Globo e o cenário da política brasileira naquela época através de finado Roberto Marinho, dono da emissora. Com forte material documental, são exibidas as manipulações feitas na edição do debate entre Fernando Collor de Mello e Luiz Inácio da Silva (Lula), que tiveram extrema influência nas eleições do ano de 1989. O documentário apresenta depoimentos de Washington Olivetto, Chico Buarque e Leonel Brizola e pode ser assistido na íntegra pelo Youtube.

Após este episódio, setores indecisos da sociedade optaram por Collor, que ganhou as eleições no segundo turno e tomou posse no mês de março de 1990. Com Itamar Franco como vice, o governo de Collor iniciou com medidas que causaram controvérsia e deixaram os eleitores extremamente insatisfeitos. Collor confiscou depósitos de poupança dos brasileiros e acabou com a Embrafilme, que investia no cinema do Brasil. A explicação para o confisco da poupança foi de que a medida seria provisória e, após a viabilização de investimentos futuros no Brasil, as quantias seriam devolvidas. Porém, após a descoberta de que o dinheiro foi para o patrimônio de Paulo César Farias, o PC Farias, ocorreu uma manifestação da classe média e alta pelo impeachment do presidente.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Impeachment
https://www.youtube.com/watch?v=6uLkX662iEM
http://www.zemoleza.com.br/carreiras/30243-a-economia-brasileira-na-decada-de-90.html
http://guiadoestudante.abril.com.br/aventuras-historia/impeachment-collor-435681.shtml