Idade do Bronze

Graduada em História (Udesc, 2010)
Mestre em História (Udesc, 2013)

A Idade do Bronze foi o período que ficou conhecido pelo desenvolvimento de ferramentas e utensílios feitos com o bronze como matéria-prima. O bronze é a liga metálica feita a partir da junção de cobre com estanho que resulta em um material resistente e ótimo para produção de ferramentas.

Este período compõe o que chamamos de Idade dos Metais, subdividida em Idade do Cobre, do Bronze e do Ferro. Este período faz parte do que conhecemos por pré-história, os tempos que precederam a Idade Antiga.

Antes do domínio dos metais os homens e mulheres utilizavam a lapidação em pedras para produzir seus utensílios para uso cotidiano. Aproximadamente em 6.500 a.C., com a descoberta do cobre, os humanos passaram a utilizar os metais para produção de ferramentas e instrumentos, modificando as formas de viver e sobreviver no mundo. O domínio dos metais iniciou-se no Oriente Próximo e espalhou-se pela Europa. O bronze foi uma grande descoberta pois era mais duro e mais resistente que o cobre, fazendo com que seus instrumentos tivessem uma durabilidade maior.

O início da Idade do Bronze ocorreu tanto na Grécia como na China por volta de 3.000 a.C., mas também se desenvolveu em outros locais como a Mesopotâmia e o Egito, marcos das civilizações antigas.

O processo do domínio da liga metálica é marcado por rupturas e permanências. Por mais que houvesse o domínio de metais, o uso de utensílios em pedras foi bastante comum por muito tempo. O domínio de uma técnica não envolveu o fim da outra. Pedras e metais estiveram presentes na vida dos homens e mulheres concomitantemente e assim, a substituição da pedra pelo bronze se deu de forma processual.

O manuseio das ligas metálicas fez com que pessoas passassem a trabalhar com os metais. É a atividade dos metalúrgicos que marca o início da Idade do Bronze, pois dominaram a técnica de misturar o estanho com o cobre formando a liga metálica que denomina o período. Essa atividade esteve presente em relações comerciais que envolviam, além dos metalúrgicos, artesãos e produtores que se encontravam nas cidades para realizar trocas de suas mercadorias. Assim, ferramentas e utensílios em bronze foram difundidas, assim como seu uso.

Outro ponto interessante do manuseio de ligas metálicas como o cobre e o estanho é o fato de elas terem sido fabricadas conscientemente, o que demonstra que os homens e as mulheres deste período intencionalmente fabricavam o bronze, sabendo de sua durabilidade e qualidade para os materiais que produziam. O fabrico do bronze envolvia a extração do estanho, que devia ser fundido separadamente, depois adicionado ao cobre e por fim derretido em forno mantido por carbono.

A adoção do bronze em diversas culturas se deu em diferentes tempos, ou seja, nem todas as culturas dominaram o bronze ao mesmo tempo nos diferentes espaços do globo. Se na Ásia central seu domínio se deu por volta de 2.000 a.C., na porção ao sul do Saara do continente africano o domínio do bronze não ocorreu, e a transição da Idade da Pedra se deu diretamente para o domínio do Ferro, sem a experiência com o bronze entre elas. Assim, o local e o tempo não foram sincrônicos no processo de conhecimento e domínio dos metais.

Desta forma pode-se compreender que a chamada pré-história em nada tem a ver com aquilo que é anterior à história, mas sim – e somente – a experiência de homens e mulheres que precederam à escrita. Mas, não só de escrita a história dos homens e mulheres na terra é feita. Seus vestígios, como os deixados na Idade dos Metais, são testemunhos das ações humanas também.

Referências:
http://escola.britannica.com.br/article/480850/Idade-do-Bronze
https://pt.wikiversity.org/wiki/Pr%C3%A9_Hist%C3%B3ria/Idade_do_Bronze

Arquivado em: Pré-História