Leis de Nuremberg

Por Antonio Gasparetto Junior
As Leis de Nuremberg fazem parte de um texto elaborado por Adolf Hitler para ser adotado pelos nazistas.

No início da década de 1930, Adolf Hitler assumiu a liderança política da Alemanha, país que passava por uma grave crise econômica e moral em função das consequências da Primeira Guerra Mundial e da Crise de 1929. Hitler foi considerado pela população alemã como um grande líder que seria capaz de resgatar o prestígio e a grandeza dos germânicos, o que o fez receber grande apoio da população. O regime estabelecido pelo novo líder do país era autoritário, tudo estava submetido ao seu controle. Se por um lado ele conseguiu reorganizar o país e oferecer esperança à população, por outro lado sua política aumentou a instabilidade no continente europeu e suas decisões conduziram o continente à Segunda Guerra Mundial.

No dia 15 de setembro de 1935, Adolf Hitler estava reunido com os demais membros do Partido Nacional Socialista Alemão dos Trabalhadores em Nuremberg por ocasião de seu sétimo congresso anual. Em uma sessão extraordinária foram adotados alguns textos que Hitler sugeriu, entre eles estavam: a Lei da Bandeira do Reich, a Lei da Cidadania do Reich e a Lei da Proteção do Sangue e Honra Alemães. Esse conjunto de leis formava o que ficou conhecido como as Leis de Nuremberg.

A adoção das Leis de Nuremberg fundamentavam toda a ação e a ideologia do nazismo, o que inclui a perseguição aos judeus na sociedade alemã. As leis determinavam a segregação racial, a proibição da união matrimonial, da coabitação, de relações sexuais e qualquer outro tipo de relacionamento do povo alemão com os judeus. Estes eram qualificados como indivíduos de segunda categoria.

As Leis de Nuremberg refletiriam em uma das consequências mais desastrosas da história da humanidade. Ainda antes da eclosão da Segunda Guerra Mundial, a caça aos judeus já faria parte das ações nazistas. Mas, além disso, essa segregação racial seria absorvida e realmente praticada pela população germânica. Ao invadir a Polônia em 1939, Hitler e seu exército nazista eram motivados por questões estratégicas de guerra e também pela crença na limpeza étnica. Durante a Segunda Guerra Mundial, os chamados campos de concentração receberiam milhões de judeus para executarem trabalho escravo, servirem como cobaias de experiência e, sobretudo, para serem exterminados. A morte de mais de seis milhões de judeus, chamada de Holocausto ou Shoah, foi um dos eventos mais trágicos da humanidade. Com o fim do conflito armado e a derrota do nazismo, as consequências das Leis de Nuremberg e os crimes contra a humanidade cometidos pelos nazistas foram julgados na mesma cidade em que suas ações foram regulamentadas, no Tribunal de Nuremberg.