Revoluções entre 1775 e 1820

Entre os anos de 1775 e 1783 ocorreu a Guerra de Independência dos Estados Unidos (treze colônias) contra o domínio do Reino da Grã-Bretanha. Gradualmente, o conflito culminou em uma guerra mundial que envolveu os Estados Unidos, França, Espanha, Países Baixos e Reino de Mysore (que eram reinos recentemente formados à época) contra os britânicos. A Guerra Revolucionária Americana culminou, principalmente, na vitória dos Estados Unidos. Desta forma, os britânicos reconheceram a autonomia das treze colônias norte-americanas que formaram a nação.

No período entre 1789 e 1799 ocorreu a Revolução Francesa. Neste período, uma forte agitação de caráter social e político tomou conta da França, impactando posteriormente diversas outras nações europeias. A Revolução Francesa começou contra o domínio de uma monarquia absolutista, que governara o país durante séculos. Com a revolução, este sistema de governo secular entrou em colapso no período de três anos. Isso ocorreu, pois setores da sociedade da França transformaram-se de forma épica. Neste processo, um ataque de grupos radicais de esquerda; unidos à massa presente na cidade e no campo, acabou com os privilégios das classes religiosas, feudais e aristocráticas. Foram impostos os princípios que ficaram conhecidos na histórica como “Liberdade, Igualdade e Fraternidade”, eliminando antigos e tradicionais ideais da monarquia, da Igreja Católica e da aristocracia.

Já no período entre 1808 e 1829 ocorreram as Guerras de Independência na América Espanhola, diversos confrontos entre as colônias (latino-americanas) e o Império da Espanha com o objetivo de conquistar independência. Em 1808, juntas organizadas em Montevidéu e no México reagiram contra os eventos da Guerra Peninsular,  que envolveu França e Espanha contra Portugal, Reino Unido, Irlanda e Grã-Bretanha; e teve sérias repercussões na independência das colônias latino-americanas. A Independência da América Espanhola envolveu confrontos que são caracterizados como guerras de cunho civil, internacional e de liberação; travadas entre americanos (e espanhóis presentes na América Espanhola), visando tornar independentes as colônias espanholas nas Américas.

Em 1820 ocorreu a Revolução do Porto, também conhecida historicamente como Revolução Liberal do Porto. Foram confrontos de caráter liberalista que acarretaram sérias consequências para Portugal e Brasil, como a fuga da família real portuguesa para a colônia brasileira e culminando nas Invasões Francesas ao território português.

Fontes:
OLIVEIRA, Robson. A História das Revoluções - Dez maiores revoluções do mundo e os grandes pensadores. Discovery Publicações, São Paulo, p. 57-58. 2013.
AZEVEDO, Antonio Carlos do Amaral. Dicionário de nomes, termos e conceitos históricos. 3a. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999.

Arquivado em: História