Prefixes

Por Emerson Santiago
Em inglês, assim como em português, temos o recurso do prefixo (prefix, em inglês), e em ambas as línguas, sua definição e seu uso é bem semelhante.

Para começar, um prefixo é uma forma de afixo (affix). Afixos são morfemas, ou seja, partículas que são adicionadas às palavras para modificá-las. As duas outras formas de afixo são o sufixo (suffix) e o infixo (infix), aplicadas ao final e meio das palavras, respectivamente. Naturalmente, prefixo é o morfema que transforma o significado de determinada palavra uma vez aplicado ao início desta. Os afixos, quando estudados e memorizados na sua maior parte servem ainda de ajuda para se descobrir o significado da palavra.

Prefixos, infixos e sufixos são geralmente derivados de palavras das línguas grega e latina, assim como em português. Os dois idiomas são base de toda a cultura ocidental, e assim, muito de seu vocabulário foi transferido para as línguas europeias em geral. Há também uma boa quantidade de prefixos originários da própria evolução do inglês:

prefixos gregos:

  • A ou an – sem: atheist, apathy, anarchy
  • Amphi – ao redor: amphitheatre, amphibious
  • Hemi – metade: hemisphere
  • Mono – um só: monopoly, monophony, monoplane

prefixos latinos:

  • Ante (anti, an) - antes: antedate, anticipate, ancestor
  • Contra (counter) – contra: contradict, counteract, counterfeit
  • Extra - além, fora: extraordinary, extravagant
  • Post – após: postscript, postdate, postpone

prefixos ingleses:

  • Mis - erro: misdeed, misunderstanding, mislead, misjudge
  • To - neste, este: today, tonight, tomorrow
  • Un - não: untrue, unkind, unholy
  • Under - para baixo, abaixo: undersell, undercharge, undergo, underground

Entre os prefixos mais usados estão anti- (contra), co- (com), mis- (mau, errado), e trans- (além).

Os prefixos aparecem geralmente unidos ao resto da palavra, sendo separados por hífen em casos específicos:

  • quando a palavra associada começa com uma letra maiúscula, como em anti-Bush (referência a alguém contra o ex-presidente norte-americano George W. Bush);
  • quando o prefixo termina com a mesma vogal da palavra associada, como por exemplo em: anti-inflationary, de-escalate, micro-organism (anti-inflacionário, regredir ou diminuir, microorganismo); há no entanto, casos em que o uso popular acabou por influenciar a regra (aliás, como acontece em qualquer língua), e temos casos onde o hífen é opcional, como em cooperate.

Outro aspecto interessante dos prefixos é que, como as palavras, eles também entram ou saem de uso. Exemplo perfeito disso é o caso do prefixo "nano", utilizado para se referir a elementos em uma escala de bilionésimo de metro ou ainda menores. Desde os anos 80, com o avanço da ciência no universo do "muito pequeno", o prefixo ganhou popularidade, e passou a embarcar tudo o que fosse de tamanho reduzido, mesmo sem ser "nano". Há companhias como Nanometrics, Nanogen e a NanoPierce Technologies, e até mesmo "nano-pants", calças para pessoas de porte físico reduzido.

Importante salientar que elementos como "full", "radio", "maxi", "midi", "mini" ou "bio", não são prefixos. Trata-se de outro elemento gramatical, chamado em inglês de "combining form".

Bibliografia:
Prefixes (em inglês). Disponível em: < http://www.english-for-students.com/Prefixes.html >. Acesso: 14/04/13.
NORDQUIST, Richard. Prefix (em inglês). Disponível em: < http://grammar.about.com/od/pq/g/prefix.htm >. Acesso: 14/04/13.
Prefixes (em inglês). Disponível em: < http://www.englishclub.com/vocabulary/prefixes.htm >. Acesso: 14/04/13.