Barata

Graduada em Ciências Biológicas (UNESP, 2001)
Mestre em Agronomia (UNESP, 2005)
Especialização em Gestão Ambiental (Anhanguera, 2010)

As baratas são insetos da ordem Blattodea, associados normalmente a doenças e bastante rejeitados pela população humana em geral. Segundo a Fiocruz, as baratas existem há mais de 300 milhões de anos e existem aproximadamente 5.000 espécies no mundo. As espécies mais comuns do meio urbano brasileiro são Blattella germânica, ou barata paulistinha, são comumente encontrados próximos às fontes de alimentos como cozinhas, despensas, fornos, pias. É pequena e transmissora de doenças. Periplaneta americana (barata voadora) é uma barata grande, voadora e vetor de doenças.

Seu corpo, como o dos demais insetos é dividido em cabeça, tórax e abdômen e possui dois pares de asas membranosas e quitinosas. Geralmente tem coloração marrom avermelhada a preta. Existem baratas mais claras, dependendo do habitat em que vivem.

Importância na saúde pública

No meio urbano, encontraram fontes de alimentos e locais para se abrigar e reproduzir, assim aumentou bastante sua população e acabaram sendo consideradas como pragas urbanas. Alimentam-se de quase tudo que encontram pela frente, sendo considerados animais onívoros. Segundo a Fiocruz, são atraídos por doces, alimentos gordurosos e de origem animal e suportam até um mês sem comer nada.

Tem grande importância na área de saúde pública, pois como se alimentam de restos de alimentos das casas e tem hábito noturno, podem atuar como vetores e reservatórios de agentes patogênicos.

Em um estudo feito sobre as baratas como possíveis vetores mecânicos de helmintos (vermes) no Rio de Janeiro, Thyssen et al. (2004) acabaram concluindo que:

insetos têm a possibilidade de transmitir doenças parasitárias ao ser humano, especialmente quando se leva em conta a relação que esses organismos podem ter com o homem e com o ambiente. Sendo assim, o peridomicílio deve ser apontado como aspecto relevante na epidemiologia de helmintoses, na medida em que configura importante fonte de produção e manutenção destas” (THYSSEN et al, 2004, p. 1099).

Também se observou também que apenas a ordem Blattodea albergava diversas formas e tipos parasitários na superfície externa do corpo. Isso reforçou a importância das baratas como veiculadoras de doenças no contexto da saúde pública. Como são animais sinantrópicos, ou seja, que se adaptam e convivem nos mesmos locais que o ser humano, o risco de contaminação é muito grande.

Importância ecológica

No entanto, assim como todas as espécies animais ou vegetais na natureza, tem sua função ecológica estabelecida. Podem contribuir com a decomposição de matéria orgânica na natureza como restos alimentares, papéis, cigarro, plásticos. Também decompõe fezes e cadáveres nos cemitérios. Servem como alimento de outros animais como ratos e morcegos.

Fontes consultadas:

FIOCRUZ. Baratas. Disponível em: http://www.fiocruz.br/biosseguranca/Bis/infantil/baratas.htm. Acesso em: 03/01/2017.

THYSSEN, P. J.; MORETTI, T. de C.; UETA, M.T. e RIBEIRO, O. B. O papel de insetos (Blattodea, Diptera e Hymenoptera) como possíveis vetores mecânicos de helmintos em ambiente domiciliar e peridomiciliar. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 20(4):1096-1102, jul-ago, 2004.

Arquivado em: Insetos