Gafanhoto

Graduada em Ciências Biológicas (UNESP, 2001)
Mestre em Agronomia (UNESP, 2005)
Especialização em Gestão Ambiental (Anhanguera, 2010)

Os insetos conhecidos como gafanhotos pertencem a ordem Orthoptera (Olivier, 1811) (orthos = reto; ptera = asas), nome que denomina o grupo de insetos com asas em linha reta. Fazem parte desse grupo as esperanças, os grilos, as paquinhas e as taquarinhas. Os gafanhotos pertencem à Família Acrididae e como característica marcante, tem o terceiro par de pernas saltatório.

É um animal conhecido inclusive na Bíblia como uma das pragas do Egito antigo, até hoje formam nuvens e atacam as plantações, tendo uma importância na agricultura muito grande. Em janeiro de 2016 uma nuvem de gafanhotos atacou o noroeste da Argentina sendo considerado o maior ataque em 50 anos. No Brasil, já houve invasões de gafanhotos no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul.

Os gafanhotos também são conhecidos pelos sons que produzem, assim como espécies de grilos e esperanças. O som é produzido nos machos, por estribulação, ou seja, pelo atrito entre as partes do corpo, uma na outra. Em gafanhotos que possuem aparelho estribulatório, possuem de 80 a 90 dentículos localizados na face interna do fêmur posterior. Também podem atritar durante o vôo, com atrito da face superior da margem costal das asas contra a face inferior das tégminas.

Morfologia

Nos gafanhotos adultos os machos tem em torno de 45 mm de comprimento e a fêmea é um pouco maior com 55 mm de comprimento (espécie Schistocera spp. Gafanhoto migratório sul-americano), outros gafanhotos podem ser maiores com tamanhos ao redor de 110 mm. Suas cores são variadas, indo do marrom-avermelhado ao verde, assim com manchas em suas pernas que podem ser pretas, amarelas, verdes.

Desenvolvimento e reprodução

Nos gafanhotos o desenvolvimento é por hemimetabolia, também conhecida como metamorfose incompleta. Assim, existem três fases distintas em seu desenvolvimento:ovo, ninfa e adulto (imago). Assim, diferente dos insetos homometábolos como as borboletas, não apresentam a pupa. Se observarmos a fase jovem e adulta do gafanhoto, são parecidos.

A reprodução geralmente é sexuada, com postura de ovos (ovíparos) mas podem existir espécies partenogênicas. Após o acasalamento, as fêmeas pousam no solo e realizam a postura acionando as gonapófises (aparelho ovopositor) e introduzem o abdome no solo e formam assim um orifício onde são colocados de 50 a 120 ovos. A seguir, a fêmea retira seu abdome fechando a abertura e por fim deposita uma espécie de tampão para proteger os ovos (cartucho). Em média, após 30 dias, há a eclosão e surgem as formas jovens, que sofrem ecdises e transformam-se em adultos. O ciclo evolutivo dura cerca de 100 dias.

Alimentação

São terrestres, fitófagos (se alimentam de vegetais) alimentando-se de gramíneas, hortaliças, mudas de cafeeiro, de eucalipto entre outros.

Os gafanhotos também podem servir como alimento para aves e para o homem!

No México, vendem-se gafanhotos fritos (também chamados de chapulines) em saquinhos com se fossem salgadinhos nas ruas e também em restaurantes conceituados. Segundo a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação, o México tem cerca de 500 espécies de insetos comestíveis, o maior número do mundo.

Assim, de praga da agricultura a alimento humano, os gafanhotos são insetos que compõe os ecossistemas terrestres integrando as teias alimentares, desempenhando sua função ecológica.

Referência:

GALLO, D. (in memorian) et. al. Entomologia Agrícola. Piracicaba: FEALQ, 2002.

Arquivado em: Insetos