Autores do Gênero Ensaio

O ensaio não deixa de ser também uma produção literária; ele está a meio caminho entre a poesia e o estilo didático. Nele o autor expõe suas concepções, tece críticas e desenvolve ponderações de natureza ética e filosófica sobre determinados assuntos. Este gênero é mais informal e manejável que o tratado. Através dele uma pessoa pode argumentar a favor de sua visão subjetiva sobre um tópico, seja ele da esfera humana, da filosofia, do universo da política, ou de cunho social, cultural, moral, psicológico, entre outros. Para criar um ensaio não há necessidade de textos documentais ou de comprovações baseadas na observação e nas experiências, ou de qualquer dedução científica. No campo formal o ensaio também oferece ao autor maior liberdade, sem uma configuração precisa. Este estilo nasceu em fins do século XVI, com os escritos do filósofo francês Michel de Montaigne. A intenção inicial dele era criar simplesmente textos literários em estado inicial. Esses esboços eram traduzidos pela palavra francesa ‘essais’. Séculos se passaram e a criação de Montaigne se transformou em um dos gêneros literários mais importantes, adotado especialmente pela crítica e pela filosofia.

Autores e Obras

  • Afrânio Coutinho: O humanismo, ideal de vida; Conceito de literatura brasileira; Daniel Rops e a ânsia do sentido novo da existência; Crítica e poética; Caminhos do pensamento crítico.
  • Aurélio Buarque de Holanda Ferreira: Linguagem e estilo de Eça de Queirós; Território Lírico.
  • Augusto Meyer: Machado de Assis; Prosa dos Pagos; À Sombra da Estante; Preto & Branco; Gaúcho, História de uma Palavra; Camões, o bruxo e outros estudos; A Chave e a Máscara; A Forma Secreta.
  • Benedito Nunes: O Dorso do Tigre; O Tempo na Narrativa; O drama da linguagem - Uma leitura de Clarice Lispector; Oswald Canibal; No tempo do niilismo e outros ensaios; Crivo de papel.
  • Davi Arrigucci Júnior: Rocambole; Ugolino e a Perdiz; Humildade, paixão e morte. A poesia de Manuel Bandeira; O escorpião encalacrado (A poética da destruição em Julio Cortázar).
  • Ralph Waldo Emerson: Nature; The American Scholar; Essays: First Series; Essays: Second Series; The Conduct of Life.
  • Manuel Lopes: Monografia Descritiva Regional; Os Meios Pequenos e a Cultura; As Personagens de Ficção e Seus Modelos; Paul; Reflexões Sobre a Literatura Cabo-Verdiana.
  • Guillermo Cabrera-Infante: Um ofício de sigilo XX; Exorcismo de estilo; Arcadia todas as noites; Holy smoke; Mea Cuba.
  • Alejo Carpentier: A Música em Cuba; O Reino deste Mundo.
  • Roland Barthes: O Prazer do Texto; S/Z; A Câmara Clara; Mitologias; O Rumor da Língua; O Grau Zero da Escrita; Império dos Signos; Sistema da Moda; Aventura Semiológica.

Arquivado em: Literatura