Autores do Nouveau Roman

Este gênero literário francês despertou no ano de 1947, após a publicação da obra Retrato de um Desconhecido, de autoria da escritora Nathalie Sarraute. O autor e filósofo francês Jean-Paul Sartre batizou esta corrente literária de anti-romance. Nas suas bases encontra-se a negação do romance psicológico e uma justificação apaixonada de uma anti-psicologia na criação literária. Nos livros que se filiam a este movimento o ser humano é representado como um objeto entre outros objetos, sempre com a supremacia de um relato sobre as coisas. O Nouveau Roman (Novo Romance) alimenta uma séria divergência em relação aos padrões literários convencionais. Os autores filiados a essa tendência produziam uma forma de expressão renovada a cada nova obra. Eles submetem o enredo e os personagens às particularidades do mundo e, por esta razão, suas narrativas se aproximam mais da produção introspectiva de escritores como Stendhal ou Flaubert.

Autores e Obras

  • Gérard Bessette: La Bagarre; La Libraire; L'incubation; Le cycle; La Commensale; La garden-party de Christophine; Les dires d'Omer Marin.
  • Maurice Blanchot: Thomas L'obscur; Aminadab; Le Très-haut; L'Arrêt de Mort; Au Moment Voulu.
  • Michel Butor: Passage de Milan; L’Emploi du Temps; La Modification; Degrés.  
  • Marguerite Duras: Uma Barragem Contra o Pacífico; Hiroshima Mon Amour; O Deslumbramento de Lol V. Stein; Destruir, Disse Ela; O Homem Sentado no Corredor; Agatha; O Homem Atlântico; O Amante; A Doença da Morte.
  • Alain Robbe-Grillet: Un Régicide; Le Voyeur; Le Jalousie; Dans Le Labyrinthe; Topologie d'une Cité Fantôme; Djinn; La Reprise; Un Roman Sentimental; Les Gommes; La Maison de Rendez-Vous.
  • Nathalie Sarraute: Portrait d'un Inconnu; Martereau; Planétarium; Entre la Vie et la Mort; Vous les Entendez; Disent les Imbéciles; Enfance;  Tu ne t'aimes Pas; Ici; Ouvrez; Les Fruits d´Or.
  • Claude Simon: Le Tricheur; Gulliver; Le Palace; Femmes; Orion Aveugle; Leçon de Choses; L’Invitation; Album d’un Amateur; L’Acacia; Le Tramway; Triptyque; L’Herbe.
  • Philippe Sollers: Le Défi; Trésor d’Amour; O Parque; Un Vrai Roman; La Fête à Venise; La Guerre du Gout.
  • Julio Cortázar: Os Reis; Final de Jogo; Bestiário; As Armas Secretas; O Jogo da Amarelinha; Histórias de Cronópios e de Famas; Todos os Fogos o Fogo; Modelo para Armar; Prosa do Observatório.

Fontes:
http://www.recantodasletras.com.br/teorialiteraria/374467
http://pt.wikipedia.org/wiki/Nouveau_roman
http://www.livroscotovia.pt/autores/detalhes.php?id=453
http://www.estantevirtual.com.br/qau/philippe-sollers

Arquivado em: Literatura