Branca de Neve e os Sete Anões

Por Ana Lucia Santana
O famoso conto-de-fada intitulado Branca de Neve é uma das histórias mais renomadas entre as que foram selecionadas pelos Irmãos Grimm. A interpretação germânica introduz a presença do espelho mágico – em outras versões substituído pelo sol ou pela lua – e a dos sete anões, convertidos em salteadores em traduções alternativas.

Jacob e Wilhelm Grimm devotaram suas vidas à coleta e à conversão de contos infantis até então preservados e transmitidos oralmente, à linguagem escrita. Eles são os responsáveis pela magia que, ao longo de várias gerações, arrebatou a alma de crianças de todo o Planeta. Os Irmãos Grimm, como se tornaram conhecidos, colheram lendas e histórias folclóricas de todas as regiões e as legaram à posteridade. Estas histórias têm em comum seu caráter fantástico e maravilhoso.

Em seus contos é sempre possível encontrar uma essência edificante, a qual pode ser deduzida das jornadas vivenciadas pelos heróis e das punições sofridas pelos vilões. Desenrola-se constantemente um embate entre o bem, recompensado todo o tempo, e o mal, frequentemente reprimido. Nestas histórias o feminino pode tanto ser sinônimo da luz, do amor, quanto provocar o aparecimento das sombras, personificadas pelas atitudes traiçoeiras e pelos estratagemas tecidos ardilosamente.

Branca de Neve, embora não seja de procedência alemã, já integrava os anais das convenções orais deste povo naquele momento histórico específico. Neste conto o lado humano está latente, como em todas as histórias dos Irmãos Grimm. O caçador que não consegue executar a princesa, o carinho dos anões com a garota perdida, estes são alguns exemplos deste aspecto sensível que permeia a narrativa. Também é visível o combate entre o bem, assumido por Branca de Neve, e o mal, representado pelo comportamento da madrasta.

Esta história retrata a vida de uma princesa que nasceu com cabelos muito escuros, os lábios tão vermelhos quanto o sangue, e a pele branca como a neve. Quando sua mãe morre, o pai se casa novamente com uma mulher muito bela, mas também excessivamente má. Desde cedo ela trata mal a criança, pois não suporta a idéia de que possa existir alguém mais linda que ela. Assim, ela deixa toda a limpeza do palácio por conta da menina.

A madrasta consulta frequentemente um espelho mágico para descobrir se alguma pessoa transcendeu sua beleza, mas sua réplica sempre lhe agrada, pois ninguém consegue vencer sua formosura. Até que, um belo dia, seu oráculo particular lhe oferece outra resposta, surpreendendo a rainha. O que ela tanto temia se concretiza, Branca de Neve é agora a mais bela. Indignada, ela manda a enteada embora de seu castelo, e não satisfeita, encarrega um caçador de ir ao seu encontro no bosque e matá-la. O homem, porém, compadecido da princesa, poupa sua vida e convence a madrasta má da morte de sua rival, entregando-lhe o coração de um javali.

Branca de Neve se refugia na floresta e é guiada pelos animais que a habitam até a casa dos Sete Anões, onde tudo é muito pequeno. Ela adormece, depois de deixar tudo bem arrumado, e é assim surpreendida pelos pequenos homens. Ela lhes conta sua história e eles decidem abrigá-la. Através do espelho, porém, a rainha descobre a verdade e, inconformada, se transforma em uma velhinha feia e inofensiva e leva até a moça uma maçã envenenada, a qual ela inocentemente consome, quedando em sono profundo. Quando seus amiguinhos retornam, acreditam que a princesa está morta e a encerram em um caixão de vidro repleto de flores. Velavam a moça quando um belo príncipe atravessa este caminho, descobre que ela é a garota que ele já buscava há algum tempo, e a beija com muito amor. O beijo rompe o encantamento, a princesa cospe a maçã e desperta. Os dois se casam e são felizes para sempre.

Este conto ganha sua versão cinematográfica em 1937, através das mãos mágicas de Walt Disney, que conquista um Oscar Honorário por esta produção. O prêmio consiste em uma pequena estátua de proporções convencionais e outras sete mini estatuetas, simbolizando os Sete Anões. Em 1987 ele foi lançado novamente pela sétima vez, sendo neste momento transmitido ao mesmo tempo em mais de 60 países.

Fontes
http://cantinhodaliteratura.spaceblog.com.br/87102/BRANCA-DE-NEVE-Irmaos-Grimm/
http://pt.wikipedia.org/wiki/Branca_de_Neve