Clássicos de Machado de Assis

Dom Casmurro

Este livro foi publicado em 1899. O autor ambientou sua trama na cidade do Rio de Janeiro, na época do reinado de Dom Pedro II. O protagonista é Bentinho, herdeiro de um deputado e proprietário rural, já morto. Ele prometera à mãe que se tornaria sacerdote. Mas a ida para o seminário o distancia de sua melhor amiga, Capitu. Após várias desventuras ele finalmente se livra do juramento e contrai matrimônio com sua amada. O ciúme, porém, será seu maior adversário. A forma como Machado narra este enredo é o que mais se destaca neste clássico que retoma os tópicos preferidos do escritor, como a suposta infidelidade, patrimônios herdados, sentimentos envolvendo três personagens e o estado emocional de cada um deles.

Memórias Póstumas de Brás Cubas

Esta obra do período realista apresenta uma inovação no modo de narrar. A história é conduzida por um narrador defunto. Lançado em 1881, este livro também introduz em nosso país o gênero psicológico e é até hoje respeitado como o primeiro romance da modernidade brasileira. Aqui o protagonista descreve seu velório e logo em seguida passa a contar vários eventos de sua existência na sequência temporal. Aos 17 anos o jovem cai de amores por uma libertina, Marcela. Este romance desgosta seu pai, o qual o envia para Portugal com o pretexto de que ele vá cursar Direito. Ao voltar para o funeral da mãe ele conhece Eugênia, com quem namora por algum tempo, mas mais uma vez a figura paterna interfere e o empurra para Virgília, a qual o troca por um poderoso político, mas posteriormente transforma-se em sua amante.

Esaú e Jacó

Pedro e Paulo já duelavam no ventre materno, preocupando Natividade. Eles são exatamente iguais na aparência física, mas durante toda a vida se posicionam em extremos opostos. Paulo adota o republicanismo e vai estudar Direito. Pedro assume a defesa da monarquia e entra na Faculdade de Medicina. Os dois se apaixonam por Flora, herdeira de Batista, um político sempre pronto para tirar vantagens de tudo. Com a indicação do pai da jovem para a presidência de uma província da região norte, ela entra em desespero, pois não deseja abandonar o Rio de Janeiro, já que está indecisa entre os irmãos. Mas ela permanece hesitante por muito tempo. Flora fica enferma e morre sem conseguir escolher entre eles. Os dois se afligem com a perda, mas continuam seguindo suas escolhas profissionais e caminhos contrários.

Helena

Esta história transcorre entre 1850 e 1851. Helena é uma jovem que ascende socialmente de uma forma vertiginosa depois do falecimento de Conselheiro Vale. Ela é reconhecida como sua filha e herda seu patrimônio. A jovem estudava em um internato carioca. Depois ela passa a viver na casa de Úrsula, sua tia por parte de pai, e com Estácio, seu meio-irmão.  Por ser extrovertida e carismática, Helena atrai a simpatia de todos os moradores da casa, mas tudo muda quando Mendonça, um amigo de Estácio, se apaixona por ela.

Iaiá Garcia

Este foi o último livro de Machado no gênero romântico. Tudo transcorre no bairro carioca de Santa Teresa. Jorge se apaixona por Estela, mas sua mãe, Dona Valéria, se opõe ao relacionamento entre eles e envia seu filho para lutar nos fronts da Guerra do Paraguai. As personagens femininas são aqui muito distintas das demais heroínas românticas. Elas são francas, fortes e conduzem a trama. Estela, uma bela jovem de 16 anos, é a que mais se destaca nesta história.

Leia mais sobre Machado de Assis:

Arquivado em: Literatura