Escritores do Realismo Mágico

Esta corrente nasceu no começo do século XX e é igualmente denominada de realismo fantástico ou realismo maravilhoso, este especialmente adotado na Espanha. Este gênero é visto como uma reação da América Latina ao despontar da literatura fantástica na Europa. Vários estudiosos definem o autor Arturo Uslar Pietri, da Venezuela, como o criador desta escola. Em nosso país os expoentes do realismo mágico são Murilo Rubião e José J. Veiga. Este movimento se intensificou nos anos 60 e 70, como fruto de duas mentalidades que coexistiam entre os latino-americanos e os brasileiros. Uma se resume na cultura tecnológica, a outra na cultura supersticiosa. Foi também uma maneira de reagir contra os governos totalitários da época por meio da palavra. Uma de suas principais características é a tendência em revelar o imaginário ou o inusitado como um elemento normal do dia-a-dia. Seu objetivo final é exprimir a esfera emocional através de uma ação concreta ante a vida real. Cem anos de solidão, de Gabriel García Márquez, é a obra que melhor simboliza esta escola.

Autores e Obras do Realismo Mágico

  • Murilo Rubião: O ex-mágico; A estrela vermelha; Os dragões e outros contos; O pirotécnico Zacarias; O convidado; A casa do girassol vermelho;  O homem do boné cinzento e outras histórias; Contos reunidos. 
  • Gabriel García Márquez: Cem Anos de Solidão; Relato de um náufrago; Ninguém escreve ao coronel; A incrível e triste história de Cândida Erêndira e sua avó desalmada; Olhos de cão azul; Crônica de uma Morte Anunciada; O Amor nos Tempos do Cólera; O General em seu Labirinto; Memória de minhas Putas Tristes.
  • Jorge Luís Borges: Ficciones; El Aleph; El jardín de senderos que se bifurcan; La muerte y la brújula; Historia universal de la infâmia; El libro de los seres imaginários.
  • Julio Cortázar: Os Reis; Final de Jogo; Bestiário; As Armas Secretas; O Jogo da Amarelinha; Histórias de Cronópios e de Famas; Todos os Fogos o Fogo; Modelo para Armar; Prosa do Observatório.
  • Alejo Carpentier: A música em Cuba; O Reino Deste Mundo.
  • José J. Veiga: Os Cavalinhos de Platiplanto; A Máquina Extraviada; O Professor Burim e as Quatro Calamidades; Os melhores contos de J. J. Veiga.
  • Manuel Scorza: Bom dia para os defuntos; Garabombo o Invisível; O Cavaleiro Insone; A Tumba do Relâmpago.

Arquivado em: Literatura