Escritores do Surrealismo

Esta corrente cultural e literária surgiu na cidade de Paris, no ano de 1919, em meio aos movimentos vanguardistas, na pausa que se estabeleceu entre as duas Guerras Mundiais. Esta vertente artística iria conferir os contornos definitivos à escola modernista. Ela englobou antigos adeptos do Dadaísmo e acabou conquistando o Planeta. Suas características estão fortemente ligadas às teses da Psicanálise, recém-criada pelo pai desta disciplina, Sigmund Freud. Assim, o Surrealismo destaca mais que tudo o desempenho da esfera inconsciente no processo da criação. Uma de suas metas era gerar um movimento artístico ameaçado pelo avanço da razão. O poeta e crítico francês André Breton praticamente fundou esta escola, batizada com um termo emprestado por Guillaume Apollinaire, um de seus antecessores. No Brasil seus precursores foram Durval Marcondes e Mennotti Del Pichia. Teve forte influência sobre a Semana de Arte Moderna, em 1922. Mas, depois de vinte anos, a postura dos brasileiros em relação a essa vanguarda ainda era hesitante, e ela era considerada por muitos como ‘coisa de franceses’.

Autores e Obras do Surrealismo

  • André Breton: Montepio; Os Campos Magnéticos; Manifesto do Surrealismo; Por uma Arte Revolucionária Independente; Clair de Terre; Nadja; Os Passos Perdidos; O Amor Louco.
  • Guillaume Apollinaire: As Mamas de Tirésias; O Bestiário ou o Cortejo de Orfeu; O Espírito Novo e os Poetas; Calligrammes; Álcoois; Os Pintores Cubistas.
  • Paul Éluard: No defeito do silêncio; Imaculada Concepção; Capital da dor; Amor e Poesia; A Vitória de Guernica; Liberté; Do horizonte de um homem ao horizonte de todos; Poemas Políticos; O Phoenix.
  • Louis Aragon: Le Paysan de Paris; Feu de Joie; Le Panorama; Le Libertinage; Le Mouvement Perpétuel; Le Front Rouge; Le Crève-cöur.
  • Jacques Prévert: Paroles; Histoires et autres histoires; Fatras; Grand Bal du printemps.
  • Murilo Mendes: Poesia em Pânico; O Visionário; As Metamorfoses; Mundo Enigma; Contemplação de Ouro Preto; Poesias; A Idade do Serrote.
  • Jorge de Lima: O Mundo do Menino Impossível; O acendedor de lampiões; Tempo e Eternidade; Invenção de Orfeu; Os anjos da noite Bizo; A mulher obscura; Guerra dentro do beco.
  • Roberto Piva: Paranóia; Praça da República dos meus Sonhos; Antologia Poética; Um Estrangeiro na Legião: obras reunidas, volume 1; Mala na Mão & Asas Pretas: obras reunidas, volume 2; Estranhos Sinais de Saturno: obras reunidas, volume 3.

Fontes:
http://jornalistaepoetajoisalberto.blogspot.com.br/2010/07/literaturapoesia-surrealista.html
http://pt.wikipedia.org/wiki/Surrealismo
http://www.slideshare.net/Ellen_Assad/surrealismo-162544
http://cmmarconi.br.tripod.com/trabalhos/trabalho1/literatura.htm
http://www.truca.pt/ouro/biografias1/andre_breton.html

Arquivado em: Literatura