Geração de 45

Por Fernando Rebouças
Na literatura brasileira, a chamada Geração 45 surgiu a partir de trabalhos de poetas que produziam uma literatura oposta às inovações modernistas de 1922. Uma fase de literatura intimista, introspectiva e de traços psicológicos.

Na prosa e nos contos a introspecção foi uma das características mais presentes, além do regionalismo por meio da recriação de costumes e uso da língua portuguesa no campo; Guimarães Rosa e Clarice Lispector foram considerados autores instrumentalistas. Na poesia, buscou-se uma poesia mais equilibrada e séria.

Os poetas da Geração 45 tomaram como modelo os poetas Parnasianos e Simbolistas, inicialmente, essa nova postura de criação poética foi defendida pela revista Orfeu, no ano de 1947. Nessa época, surgiria João Cabral de Melo Neto.

O momento histórico era o fim da Era Vargas, altos e baixos do Populismo, Ditadura e a Guerra Fria no contexto internacional. O ano de 1945 é a marca do fim da Segunda Guerra Mundial e do fim da Ditadura de Getúlio Vargas no Brasil. A partir desse ano, o mundo inicia a Guerra Fria e o Brasil um processo de democratização política.

A Geração 45 não determinou uma ruptura profunda com a estética do século XIX, mas determinou uma nova valorização da palavra. Em comparação com a geração de 22, a Geração 45 foi menos radical, mais racional e utilizou o lirismo com maior sobriedade inserido na preocupação com a linguagem em si.

A Geração 45 não foi muito exigida politicamente e visou reformar valores estéticos, possibilitando o surgimento de um grupo de poetas neo-conservadores e pós-parnasianos.  A Geração de 45 também é referida como a geração neomoderna por buscar uma universalidade temática aliando ritmo e sentido às palavras poéticas.

A poesia dessa geração oscila entre o estetismo subjetivo a poética experimentalista. A palavra é valorizada na sua forma escrita, com o objetivo de restabelecer o formal e vernacular. A Geração de 45 é diferente dos parnasianos, pois os parnasianos consideravam a arte poética como um trabalho artesanal, enquanto que a Geração de 45 a consideravam uma forma de expressão política, de contradições internas do homem e dos problemas sociais.

Em suma, a Geração de 45 marcou uma mudança na produção poética do modernismo, buscou uma pesquisa sobre a linguagem, desenvolveu um traço formalizante, valorização da palavra escrita e releitura dos costumes regionalista. Entre os autores dessa geração destacam-se: Rubem Braga, Clarice Lispector, Lygia Fagundes Telles, Guimarães Rosa e Mário Palmério.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Geração_de_45
http://www.brasilescola.com/literatura/a-literatura-contemporaneageracao-45.htm
http://kplus.cosmo.com.br/materia.asp?co=115&rv=Literatura