Literatura infanto-juvenil

Segmento da literatura dedicado exclusivamente aos adolescentes e às crianças, a literatura infanto-juvenil apresenta obras de cunho fictício juvenil e infantil, folclórico e cultural, poema, novelas, biografias e obras didáticas que explicam de forma simplificada assuntos cotidianos como a matemática, ciências, entre outros temas.

O mercado editorial infanto-juvenil apresenta seus livros com base na faixa etárias dos leitores. As obras, quando direcionadas a crianças com idade entre dois e quatro anos, contêm, na maioria das vezes, imagens coloridas, fotos e poucas palavras. No caso das obras direcionadas aos adolescentes, há presença de textos e fotos como forma de ampliar o entendimento dos jovens leitores.

De acordo com matéria publicada na ABL (Academia Brasileira de Letras) “a literatura infantil é a porta de entrada na formação de um público leitor quando adulto. O costume da leitura desde pequeno, somado ao incentivo da família e da escola, é a primeira etapa para a formação de um cidadão culto e crítico em relação à sociedade que o rodeia”.

As editoras, no intuito de ganhar novos leitores, investem em características como cheiro, textura, formato e ilustrações dos livros para agradar crianças e adolescentes de forma a torná-los fiéis consumidores de certa marca ou coleção de livros. Exemplo de obras que fizeram sucesso entre os jovens brasileiros são: coleção "Vaga-Lume", série "Os Karas" e livros como “Cuidado, Não Olhe para Trás” e “As Cores de Laurinha”. Entre as características encontradas na literatura infanto-juvenil estão: fácil entendimento do conteúdo e estímulos à criatividade infantil.

Neste aspecto, podem ser incluídas as histórias em quadrinhos da Turma da Mônica, criadas por Maurício de Souza e que tem personagens idolatrados pela garotada como Cebolinha, Mônica, Papa-Capim, Magali, Cascão, Franjinha, Do Contra, Nimbus, entre outros.

O início da produção de literatura infanto-juvenil remete ao fim do século XVII, época em que a principal preocupação era passar o hábito e os valores da leitura para os mais jovens. As obras eram criadas por pedagogos e professores. No mundo editorial encontrado atualmente, o objetivo inicial acabou se transformando na criação de novos conceitos em relação às mudanças na sociedade. Na era da internet, da informação e das redes sociais, as editoras buscam não perder o público infantil e expandem-se para novas mídias como os e-books e formatos para celulares, tablets, entre outras plataformas digitais modernas.

Leia também:

Fontes:
http://www.historiasparaler.com.br/2007/07/coleo-os-karas.html
http://www.academia.org.br/abl/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?tpl=home
http://pt.wikipedia.org/wiki/Literatura_infantojuvenil

Arquivado em: Gêneros Literários