Machado de Assis no exterior

Por Fernando Rebouças
Paris, Lisboa, Buenos Aires, Nova York e todo canto do mundo está sendo palco de lembranças e homenagens ao escritor brasileiro Machado de Assis. No ano de 2008, a literatura brasileira comemorou o centenário da morte de um dos maiores escritores do país, mas tal comemoração ultrapassou as fronteiras geográficas.

As obras de Machado já foram traduzidas e interpretadas em vários idiomas. No Salão do Livro de Paris, em março de 2008, o Ministério da Cultura brasileiro e a nossa Biblioteca Nacional montaram um estande sobre o autor. Na universidade parisiense de Sorbornne, ocorreram palestras sobre as obras machadianas.

Outras palestras foram apresentadas em Portugal durante a 78ª Feira do Livro de Lisboa, e ocorreram doações de livros machadianos para universidades portuguesas. A literatura de Machado também esteve presente na 34 ª Feira do Livro de Buenos Aires.

Na Alemanha, houve um estande especial para o autor na Feira Internacional do Livro de Frankfurt. O mesmo ocorrera no Chile, no México, Angola e EUA.

Em 12 de setembro de 2008, o jornal The New York Times publicou matéria sobre os 100 anos de morte de Machado de Assis, destacando o florescimento internacional de sua literatura. Tal destaque no exterior ficou mais intenso após 1990, quando suas obras passavam a ser traduzidas por tradutores mais especializados em idioma português e espanhol. Machado ainda é comparado à Flabert, Henry James, Beckett, entre outros.