Os dragões na literatura

Alguns autores acreditam que a figura do Dragão remete à essência imortal da Humanidade. Ele é possivelmente o ser encantado mais famoso de todo o Planeta, e está sempre no cerne dos debates no âmbito da literatura fantástica. A criatura está presente em todas as culturas, embora nem sempre em sua aparência tradicional.

Esta figura se vincula de alguma forma aos quatro elementos, tais como os descreveram os antecessores de Sócrates – ar, água, terra e fogo. O Dragão está principalmente ligado à esfera do fogo e/ou da água, e seu comportamento é regido pelo amor ou pelo ódio conforme o mito analisado.

Seu nome tem origem no grego drákon  e igualmente no latim draco. Ele provavelmente procede do verbo grego derkomai, que significa ‘ver’, ou da expressão deskesthai, a qual tem o sentido de ‘lançar olhares’. Daí a ideia de que pode ser fatal fixar o olhar deste ser, pois em seus olhos ele encerra o domínio do conhecimento.

E, como se vê também na história de Adão e Eva, conhecer envolve a perda da inocência e o despertar da responsabilidade. Um termo que igualmente remete ao Dragão, Drache ou Drake, traduz outro ser feroz, a cobra. E outro vocábulo ancestral é Verme, o qual provém de Worm ou Wyrm.

Provavelmente o antepassado de todos os dragões literários é Tiamat, uma deidade da Babilônia. Ela representava o Caos, ou seja, o Cosmos em um estágio anterior à sua disposição harmônica. O Mito da Criação gerado pela cultura babilônica, o Enuma Elish, descreve esta divindade como a água salgada, contrária a Apsu, a água doce.

Da mescla de ambas nasceu o Universo e surgiram os deuses mais antigos. Posteriormente eles eliminaram Apsu, provocando assim a revolta de Tiamat, figura feminina. Em sua vingança a entidade dá à luz entidades monstruosas, até mesmo aos dragões primitivos. Mais tarde ela é destruída por Marduk, uma divindade heróica. De seu corpo o guerreiro produz o céu, a terra, as estrelas, os rios e as demais criaturas.

Alguns dos dragões mais famosos da literatura

Smaug: Ele se apropriou das riquezas dos anões e permaneceu por um longo período prostrado sobre este tesouro, moldando assim em seu abdômen uma couraça de diamantes. Esta criatura foi eliminada por Bard, o Arqueiro, atingida justamente nesta parte mais vulnerável de seu corpo.

Saphira: Ela foi descoberta por Eragon quando ainda estava no ovo. Partiu compulsoriamente com o garoto assim que o soberano enviou Ra'zacs para seguir os rastros do protagonista e de seus familiares. A partir de então ambos passaram a praticar as artes mágicas com Brom para combater seus inimigos.

Romaniam Longhorn: Este é um dos seres míticos presentes na saga Harry Potter. Com escamas na tonalidade verde-escura e grandes chifres dourados, é capaz de perfurar sua caça antes de consumi-la em chamas.

Glaurung: É conhecido como o dragão mais primitivo. Nos livros de Tolkien, é o progenitor de sua estirpe, particularmente dos descendentes de Urulóki, seres desprovidos de asas e especialistas em lançar fogo pelas ventas.

Fontes:
http://www.valinor.com.br/14693/
http://olhardodragao.blogspot.com.br/2011/03/10-dos-inesqueciveis-e-melhores-dragoes.html
Ilustração: http://openbooksociety.com/article/book-news-literary-dragons-august-releases-and-more-08-04-10/

Arquivado em: Literatura