A Caçada

Ser um eper representa um risco de vida sem igual. Ele é um espécime em extinção. Tudo se inverteu. Hoje uma pessoa comum, como as outras, é um vampiro e para eles o eper é um alimento que dá água na boca, embora há muito tempo não saboreiem uma dessas criaturas. Alguns sugadores de sangue jamais viram ou sentiram o aroma de uma delas.

Os vampiros conhecem os poucos remanescentes humanos da Terra como epers. Só não imaginam que um desses seres vive bem ali, próximo a eles. Embora não tenha o mesmo vigor e destreza de seus companheiros, possa permanecer sob os raios solares e não tenha um desejo incontrolável por sangue, alimentando-se apenas de frutos e legumes, Gene jamais foi detectado por estas criaturas.

Ele pratica rigorosamente os preceitos aprendidos com seu pai. Não deve jamais dar risadas ou sequer esboçar um sorriso; é proibido derramar lágrimas ou até mesmo marejar os olhos; um simples rubor no rosto pode denunciá-lo; transpirar é impensável; só pode revelar ânsia por sangue e desejo por uma fêmea, qualquer outro sentimento é inconcebível.

Além disso, o protagonista precisa depilar o corpo inteiro incessantemente, cortar as unhas e destruir todo cheiro humano. Qualquer hesitação e ele encontrará uma morte horrível. Ou seja, será tragado pelos vampiros imediatamente. Ele está submetido a essa rotina há um tempo tão longo que já não lembra mais o próprio nome.

De repente o líder deles decide convocar, após anos sem fim, mais uma investida contra os eper. A oportunidade de saborear esse alimento provoca uma agitação ímpar entre os vampiros. E o pior de tudo é que Gene é um dos escolhidos para integrar o grupo que irá atrás dos eper. A partir desse momento seu universo cai por terra. Como ele conseguirá preservar sua máscara durante a caçada?

Este é o primeiro livro da série A Caçada. O autor constrói uma narrativa eletrizante dirigida aos jovens adultos. Embora ele recorra a uma temática clichê, consegue revesti-la de uma nova e inventiva roupagem. Trata-se de uma mistura de distopia e fantasia próxima ao terror. Os vampiros aqui não são entidades sobre-humanas, e sim os habituais moradores do mundo. Eles ditam as regras, inclusive as alimentares. Em momento algum são chamadas de ‘vampiros’, apesar de sabermos que esta é a identidade desses seres.

Andrew Fukuda nasceu em Manhattan, porém cresceu em Hong Kong.  Ele é graduado em História pela Universidade de Cornell, em Nova Iorque. Sua segunda ficção, A Caçada, foi adquirida pela St. Martin Press em um leilão e foi lançada nos Estados Unidos em maio de 2012. Hoje ele mora em Long Island, Nova York, ao lado de seus familiares.

Fontes:
http://www.lendonasentrelinhas.com.br/2013/11/a-cacada-andrew-fukuda.html
http://www.intrinseca.com.br/site/autores_ficha.php?autorid=175

Arquivado em: Livros