A Décima Nona Esposa

Por Ana Lucia Santana
Nesta obra o autor conjuga um fato real a uma narrativa ficcional, ambos entrelaçados por fios que tecem a história da poligamia entre os mórmons nos Estados Unidos, desde os primeiros tempos até os dias de hoje. A trama se passa em dois momentos distintos, no ano de 1873 e atualmente.

No passado o leitor se defronta com a trajetória verdadeira de Ann Eliza Young, décima nona mulher de Brigham Young, chefe da Igreja Mórmon que sucede Joseph Smith no comando dos fiéis norte-americanos. Ela entra para a história ao exigir o divórcio, transgredindo assim os dogmas de sua religião e se rebelando contra a poligamia. A insurgente assume totalmente esta bandeira e desta forma se torna famosa em toda a nação.

Em conseqüência de sua luta os companheiros de fé de Ann Eliza finalmente eliminam a prática da poligamia em 1890. Mas nem todos concordam com essa decisão, e os descontentes se refugiam em uma seita intitulada Primeiros Santos dos Últimos Dias. Estes separatistas crêem em um grupo familiar múltiplo como ordem direta do Profeta, representante máximo do Criador.

É no seio desta comunidade que se passa o relato imaginário. Em um insignificante aglomerado urbano sediado na cidade de Utah, BeckLyn, outra décima nona esposa, desta vez de um dirigente dos Primeiros Santos, acata um comando do Profeta e, temendo queimar nas chamas infernais, abandona o filho, Jordan Scott, então com 14 anos, na margem de uma estrada.

Passam-se seis anos e o jovem, atualmente com 20 anos, descobre uma imagem de sua mãe ao navegar na Internet; ela acaba de ser aprisionada, acusada de matar seu esposo. Embora Scott tenha jurado jamais retornar a Mesadale, sua terra natal, ele resolve retornar para descobrir o que realmente ocorreu com sua família.

O autor, ao aliar uma narrativa policial a um enredo histórico, leva o leitor a refletir sobre teses controvertidas e densas, como a crença e as autoridades que dominam este campo espiritual. Ele rebate especialmente a fé cega, que gera fanatismo e extremismos religiosos.

David Ebershoff é o criador dos livros Pasadena e The Danish Girl. Ele já conquistou diversas premiações com suas obras, entre eles o Fundação Rosenthal da Academia Norte-Americana de Letras e Artes. O autor lecionou redação criativa nas Universidades de Nova York e Princeton e hoje atua como professor na Universidade de Columbia.

Fontes:
http://www.benvira.com.br/autor.asp?autor=664413
http://tododiaumbomlivro.blogspot.com.br/2012/05/grandes-romances.html#!/2012/05/grandes-romances.html
http://www.editorasaraiva.com.br/obrasDetalhes.aspx?arg=752805