A Hospedeira

Por Ana Lucia Santana
Na primeira ficção voltada para o leitor adulto, "A Hospedeira", Stephenie tece um enredo que se concentra em uma era futura, na qual o Planeta Terra foi invadido por alienígenas que se dedicam ao bem de sua comunidade, utilizam métodos pacíficos e se manifestam ao tomarem conta da mente dos terráqueos, após retirarem de seus corpos o domínio da psique humana.

Estes aliens, denominados ‘almas’, submetem completamente os seres dos quais assumem o controle, os quais passam, assim, a hospedar suas mentes. Quase toda a raça humana já se entregou a este comando; os demais se refugiam e preservam sua autonomia, sendo conhecidos como selvagens.

Melanie Stryder é uma destas resistentes; ao ser apanhada por seus adversários, ela acredita que chegou a hora de se tornar um autômato, mas sua psique continua obstinadamente a se rebelar contra o domínio da mente alheia, neste caso, de Peregrina, ou ‘Wanderer’, a alienígena destacada para invadir seu corpo e, assim, descobrir o refúgio dos que ainda não se submeteram ao poder dos parasitas alienígenas.

Peregrina, por sua vez, tem consciência dos riscos que corre ao se expor aos sentimentos e sensações humanas, às suas recordações e experiências, que se conservam ativas. Algo, porém, a surpreende: a forma como sua hospedeira se nega a entregar pacificamente o comando de sua psique.

Melanie se fixa nas lembranças de Jared, seu namorado; as imagens que se formam em sua mente atingem também Peregrina, que não tem como isolar os desejos de sua hospedeira dos seus próprios anseios. Desta forma, ao invés de focar em sua missão, ela vê sua vida, de repente, se entrelaçar fatalmente à de sua vítima.

Ao pesquisar a mente de Melanie para tentar encontrar os selvagens, Peregrina cai em uma armadilha: ela se sente irresistivelmente atraída por Jared, pois seus sentimentos se confundem inevitavelmente com os de sua hospedeira. Agora, nada mais lhe resta senão ir em busca deste amor compartilhado com a humana que a abriga.

Esta obra de Stephenie alia com perfeição a mais inventiva ficção científica com o saboroso estilo romântico que permeia sua obra, bem conhecido do leitor que já devorou a saga Crepúsculo. Aqui ela tece, de forma totalmente original, um triângulo amoroso protagonizado somente por dois corpos, embora concretizado por três mentes.

O amor é um dos principais personagens deste livro, mas não apenas o sentimento nutrido entre homens e mulheres; aqui estão presentes várias formas de amar: o grupo, a si mesmo, os familiares; e, naturalmente, o afeto romântico e a emoção platônica. Outro ângulo importante da história é a questão da humanidade, do que significa realmente ser portador da essência humana.

A autora norte-americana tornou-se célebre pela publicação da série Crepúsculo, sucesso de vendas e convertida quase imediatamente para as telas dos cinemas. A trama enfoca o relacionamento entre a humana Bella Swan e o vampiro vegetariano Edward Cullen. Por este êxito comercial, Stephenie Meyer foi incluída no 49º lugar entre as "100 pessoas mais influentes em 2008", eleitas pela Times. Ela participou também da coletânea de histórias de terror Formaturas Infernais, com a história Inferno na Terra.

Fontes:
http://mistycous.blogspot.com/2009/01/host-hospedeira-de-stephanie-meyer.html
http://www.culturadebolso.org/livro-a-hospedeira/
http://pt.wikipedia.org/wiki/Stephenie_Meyer