A Lua-de-Mel

Lottie é uma garota que já namorou muitos homens, alguns durante um longo tempo. O problema é que nenhum deles está disposto a assumir um relacionamento mais sério e menos ainda a tocar na palavra casamento. É por essa razão que ela dá um fim à longa relação que tinha com Richard; o rapaz não parece estar preparado para se casar.

a lua de melÉ então que surge Ben, um garoto que ela conheceu e com quem teve um namoro durante a adolescência. Ele a recorda que, na época, os dois tinham firmado um acordo. Se completassem 30 anos de idade ainda solteiros, eles se casariam. Ele oferece a Lottie tudo que a jovem sempre desejou: casamento, filhos e uma viagem para a França. Sem falar na lua de mel nas Ilhas Gregas, cenário onde o casal se viu pela primeira vez.

Lottie não hesita; ela estende a mão e se apropria da oportunidade. Eles combinam não noivar, nem estabelecer datas para a cerimônia. Irão de uma vez para o altar e consumarão o ato do casamento. O único problema é que eles não se encontravam há 15 anos. E algumas pessoas estão descontentes com essa pressa toda. Familiares e amigos se preparam para interferir nos planos de Lottie e Ben.

Nesse momento entra em cena a segunda personagem feminina da história. A narrativa é conduzida pelos pontos de vista de Lottie e da sua irmã, Fliss, uma mulher que recentemente se enquadrou no status das divorciadas e tem um filho ainda muito novo, Noah.

Ao contrário de Lottie, ela não pode sequer ouvir o termo casamento. Ela é bem objetiva e realista. Está certa de que a irmã vai cair na mesma cilada que ela e, portanto, decide sabotar os projetos dela. Para isso Fliss se alia a Lorcan, amigo de Ben, para impedir que os dois se casem.

E Fliss é realmente opressora. Ela faz o impossível para destruir os projetos do casal para a lua de mel. Mas, no fundo, tudo que ela apronta é para preservar a irmã de qualquer ameaça, principalmente de um divórcio difícil como o dela.

A autora inova nesse livro ao construir dois pontos de vista totalmente diferentes. E também foca cem por cento no romance, algo não usual em suas histórias. Mais uma vez os personagens masculinos são mais fracos do que os femininos.

Madeleine Wickham, mais conhecida como Sophie Kinsella, nasceu no dia 12 de dezembro de 1969 na cidade de Londres, capital da Inglaterra. A escritora atuou primeiro na esfera da economia, inclusive com especialização no ramo financeiro. Depois mergulhou fundo na literatura, especialmente no gênero Chick-Lit romântico.

Fontes:
http://livrosdoexilado.org/a-lua-de-mel-sophie-kinsella/
http://www.skoob.com.br/autor/78-sophie-kinsella
http://terradecarol.blogspot.com.br/2013/11/resenha-de-lua-de-mel-sophie-kinsella.html

Arquivado em: Livros