A Viuvinha

Por Cristiana Gomes
Mais um romance urbano escrito por José de Alencar, em 1860.

Assim como em Cinco Minutos, o narrador (que é o mesmo) conta a história como se estivesse escrevendo uma carta para a sua prima: D.

Jorge é um rapaz que passou a vida inteira curtindo a vida e gastando o dinheiro de seu pai.

Um belo dia,conhece e se apaixona por Carolina, uma jovem moça recatada que vive com a sua mãe.

Essa paixão o faz abandonar a boemia, porém já é tarde demais, porque tantas loucuras e insanidades o transformaram em um homem endividado e pobre.

Ele descobre a sua real situação na véspera do seu casamento com Carolina. Chocado, ele resolve tomar uma atitude polêmica.

Após o casamento, ele (que havia dado um sedativo a esposa) espera a moça adormecer para sair e simular seu suicídio. Passa então a viver com o nome de Carlos.

Ele queria morrer para o mundo e viver sob outra identidade para que pudesse pagar sua dívida e voltar para a amada.

Nesta bela obra de José de Alencar não falta o mistério antes do tão esperado final feliz. Jorge/Carlos precisa saber se a sua esposa ainda o ama, então, arquiteta um plano e todos os dias passa a espioná-la.

Em um dado momento, escreve uma carta de amor para ela e marca um encontro para que possa falar do seu amor. Carolina sem saber que se trata do seu marido, fica com o coração divido, mas mesmo assim vai ao encontro.

Durante a conversa ele fala do seu amor, porém ela diz que ainda ama seu marido. Diante de tal prova de amor, Jorge se revela para a esposa e os dois se abraçam e se beijam. O final feliz é uma característica do Romantismo, os personagens sofrem, mas no final recebem o tão esperado prêmio.

Foram cinco anos de miséria e trabalho árduo, mas que no fim valeram a pena, pois foi com o trabalho que pôde pagar suas dívidas e voltar para Carolina, que nunca deixou de esperá-lo e amá-lo.

Como curiosidade, o livro faz referência a uma outra obra escrita por José de Alencar: Cinco Minutos.

No final do livro, o narrador conta para a prima que ouviu esta história de sua esposa Carlota. O narrador e Carlota (protagonistas de Cinco Minutos) são vizinhos de Jorge e Carolina