As Cidades Invisíveis

Por Felipe Araújo
O livro de Ítalo Calvino, As Cidades Invisíveis, apresenta as descrições das cidades que o viajante Marco Polo ilustrou ao imperador Kublai Khan. Com as histórias do viajante, Khan tinha o objetivo de montar um império baseado nos relatos sobre como eram os locais. Marco Polo descreve cidades imaginárias, que sempre levam nomes de mulheres como: Leônia, Cecília, Pentesileia. Em sua maioria, são relatos curtos e divididos entre os tópicos: as cidades delgadas, as cidades e a memória, as cidades e as trocas, as cidades e o céu e as cidades e os mortos.

A história do livro acontece durante o século 13, quando o descobridor veneziano Marco Polo chega ao império de Kublai Khan após uma viagem de aproximados 30 dias. Naquelas terras, o protagonista do livro passa 17 anos, onde desempenha funções de diplomata na corte de Khan.

As Cidades Invisíveis foi publicado em 1972, quando o autor tinha 49 anos de idade. Na época, o Realismo Mágico, que foi uma forte influência de Calvino, estava em alta na América Latina. O escritor extrapola a realidade e cria um diálogo fantástico entre o imperador dos tártaros (Kublai Khan) e Marco Polo, conhecido por ser o maior viajante de todos os tempos. Khan, ao perceber a impossibilidade de conhecer seus domínios por inteiro, utiliza os olhos de Marco Polo para enxergar suas terras e se satisfazer com as descrições.

Desta forma, Marco Polo inicia uma descrição detalhada das 55 cidades pelas quais teria passado. Essas terras são apresentadas divididas em 11 temas: "as cidades e a memória", "as cidades e o céu", "as cidades e o mortos" , entre outros.

De acordo com alguns críticos literários, Calvino utiliza diversos recursos em suas descrições, abrangendo influências que vão desde o livro das “Mil e Uma Noites”, chegando às megalópoles cinematográficas. Ítalo apresenta a beleza das cidades, descrevendo-as de forma consistente, visível, exata, rápida e leve. Com isso, dá a oportunidade dos leitores se perderem por estes locais, formados por teias de palavras e elucubrações fantásticas do escritor.

Sobre o escritor

Ítalo Calvino nasceu em Santiago de las Vegas (Cuba) no dia 15 de outubro do ano de 1923, tendo falecido em Siena no dia 19 de setembro de 1985. Calvino foi considerado um dos mais influentes autores da Itália no século XX. Apesar de ter nascido em Cuba, sua família retornou à Itália pouco tempo depois de Ítalo ter nascido.

O escritor formou-se no curso de Letras e fez parte da resistência anti-fascismo na época da Segunda Guerra Mundial. Além disso, fez parte do Partido Comunista da Itália até o ano de 1956. Um ano depois, desvincula-se do partido, deixando uma carta que ficou famosa.

Obras do autor:

  • A trilha dos ninhos de aranha
  • O Barão nas Árvores
  • Os Amores Difíceis
  • O Caminho de San Giovanni
  • O Castelo dos Destinos Cruzados
  • O Cavaleiro Inexistente
  • As Cidades Invisíveis
  • As Cosmicômicas
  • O Dia de um Escrutinador
  • Fábulas Italianas
  • Um General na Biblioteca
  • Marcovaldo ou As Estações na Cidade
  • Os Nossos Antepassados
  • Palomar
  • Perde Quem Fica Zangado Primeiro
  • Porque Ler os Clássicos
  • Seis Propostas para o Próximo Milênio - Lições Americanas
  • Se um Viajante Numa Noite de Inverno
  • Sob o Sol-jaguar
  • O Visconde Partido ao Meio (1952)
  • A Trilha dos Ninhos de Aranha

Fontes:
CALVINO, Italo. Por que ler os clássicos. São Paulo: Cultrix, 1993.
http://vestibular.uol.com.br/ultnot/livrosresumos/ult2755u96.jhtm
http://pt.wikipedia.org/wiki/Italo_Calvino